ÚLTIMAS NOTÍCIAS

EVENTOS RELIGIOSOS

Terço dos Homens – VI Retiro THMR da Diocese de Parnaíba em Piripiri

Sob o tema “Na Escola de Maria Santíssima, a graça de educar discípulos e missionários de Cristo”; nos dias 23 e 24 de maio, na cidade de Piripiri, aconteceu o VI retiro espiritual dos que participam do Terço dos Homens Movimento Mariano nas paróquias da Diocese de Parnaíba. Das 27 paróquias do movimento, estiveram representadas as cidades de: Batalha, Luzilândia, Matias Olimpio, Joca Marques, Pedro II, São João da Fronteira, São José do Divino, Parnaíba, Cajueiro da Praia, Luis Correia,  Burti dos Lopes, Camuripim, Piripiri, Ilha Grande, Cocal, São João da Fronteira e Barras da Diocese de Campo Maior.
Como parte das atividades, tivemos como palestrantes: Thales Leitão, da Arquidiocese de Teresina; João Cunha, Coordenador THMR do Regional NE IV e Lopes, Secretário THMR do Regional NE IV .
Na abertura, dia 23 à noite, o batalhense professor e coordenador Diocesano Nonato Silva, foi saudado pelos presentes sob as bênçãos do Frei Fernandes, pároco de N. S. dos Remédios Pirulito.
A santa missa foi presidida pelo reverendo Padre Evandro Alves, diretor espiritual THMR da diocese de Parnaíba, concelebrada pelo padres Ronaldo Sampaio, da  paróquia de N.S. da Conceição, cidade de Ilha Grande, e Frei Fernandes de Piripiri
Somente da pequena cidade de Ilha Grande foram mais de 115 homens, dentre os mais de mil que estiveram presentes.
Na reunião de 24 de maio, domingo de Pentecostes, foi decidido locais dos próximos retiros, seguindo um rodízio nos três zonais da nossa Diocese.
Em 2016 no Zonal Sul II; em 2017 no Zonal Norte; em 2018, no  Zonal Sul I. Sendo que o próximo, em 2016, será em nossa cidade, na Paróquia Matriz de São Gonçalo. Exatamente no dia 15 de maio, durante a Feste  de Pentecostes.
A meta para Batalha em 2016 será reunir em torno de 1500 homens no VII Retiro e para tanto a coordenação paroquial já começou a se organizar.
O THMR é o movimento da igreja católica hoje que mais cresce em todo o Brasil, comparado com outros serviços da igreja é um movimento novo de aproximadamente 10 anos de fundação, tendo nascido no Nordeste, se espalhou Brasil e até no estrangeiro.
Na entrevista concedida pelo coordenador professor Nonato Silva, o religioso teceu elogios à organização do evento dizendo: “foi nota 10 e todos os participantes ficaram felizes”.
Com fotos de nosso colaborador Mauro Robert, mais uma cobertura do portal Página de Batalha sempre presente nos grandes eventos religiosos de nossa terra!

Primeira Eucaristia de 460 Jovens batalhenses

A missa dominical  na data comemorativa ao Dia das Mães de 2015, representou para um grande número de jovens católicos batalhenses a festa da primeira comunhão.
Um dia especial na vida de cada um desses jovens que entram definitivamente na vida cristã com responsabilidade.
A primeira eucaristia se dá após um período de catequese, onde os jovens recebem os ensinamentos básicos como a compreensão dos 10 Mandamentos, os mandamentos da igreja, principais orações, os sete sacramentos, dentre outros.
Mas antes de receber a eucaristia, é preciso passar pela confissão dos pecados diante um sacerdote e daí por diante, sempre que peque gravemente e assim, procurar se aproximar dos preceitos religiosos como cristão.
Sendo um dos sete sacramentos, a eucaristia “é o próprio sacrificio do Corpo e Sangue do Senhor Jesus. Ele instituiu para perpetuar o sacrifício da cruz, enquanto aguardamos seu retorno.” (.271).
A palavra hóstia, em latim, significa “vítima”, que entre os hebreus, era o cordeiro, sem culpa, imolado em sacrifício a Deus. Fonte: www.aigrejaprimitiva.com
Com fotos de Mauro Robert, mais uma cobertura nos 10 anos de vida do primeiro portal batalhense.

Semana Santa – A Vigília Pascal

No penúltimo dia da Semana Santa, a partir das 22hs, a comunidade católica batalhense participou da Vigília Pascal no ginásio poliesportivo prefeito Messias Freitas, por conta da reforma do piso e forramento da igreja Matriz de São Gonçalo.
Leia abaixo histórico do significado da Vigília pascal:

“O sábado pascal é iniciado com o fogo novo. O que ele nos remete?

A páscoa originalmente era uma celebração típica dos pastores. Depois passou a ser a grande festa da libertação dos hebreus, recordando sua saída do Egito. Mais tarde foi-lhe incorporada uma antiga festa agrícola dos pães sem fermento (ázimos).
Nesse dia a Igreja toda guarda luto pela morte de Jesus. Neste dia se faz também a comemoração das Dores de Nossa Senhora.
É uma celebração que relembra todos os sofrimentos de Nossa Senhora desde o nascimento de Jesus, culminando com a dor infinita à qual se viu exposto o coração de Maria, ao deixar seu divino Filho no sepulcro. Por maior que seja a solidão que algum coração humano já sentiu, por certo, sequer aproximará do amargor, do infinito abandono que se apossou do coração da mãe do Divino Amor.
Na Solene Vigília Pascal da noite será celebrada a Missa da Ressurreição. Essa missa é precedida pela bênção do Fogo Novo e do Círio Pascal, benção da água Batismal e Renovação das Promessas do Batismo.
Fogo: Sinal da presença de Deus na história, em suas manifestações de salvação. Ligado ao fogo, temos o círio pascal que aceso no fogo novo lembra o Cristo ressuscitado.
Luz: Símbolo da vida. Representa a presença de Cristo que é vida e oferece vida e salvação ao homem. Jesus atravessa as portas da mansão dos mortos, vencendo e trazendo a luz para a humanidade.
Água: Também é sinal da vida que é comunicada ao cristão quando ele renasce pelo batismo para um mundo novo”.
Fonte: http://www.catequisar.com.br/

Semana Santa – Procissão Luminosa

A Página de Batalha vem cobrindo todos os principais momentos da Semana Santa através do nosso colaborador Mauro Robert. Nesta matéria, registros da tradicional Procissão Luminosa que normalmente é realizada na Quinta-feira Santa e não na Sexta-feira, como foi o caso de Batalha.
Abaixo, transcrevemos um resumo das atividades religiosas na Terra Santa, Jerusalém:

“O período da quaresma está terminando, e tantos os cristãos locais quanto os milhares de peregrinos que vieram à Cidade Santa estão se aprontando para celebrar a Semana Santa e o seu auge, o Domingo de Páscoa – o tempo mais importante do ano litúrgico cristão.

Não há nada que se compare a vivenciar a Semana Santa em Jerusalém.  Celebrar os grandes eventos da história da salvação e da vida de Jesus nos mesmos lugares onde ocorreram é uma experiência de fé emocionante e inesquecível para todos os crentes.

A Semana Santa começa oficialmente com a celebração da entrada de Jesus em Jerusalém no Domingo de Ramos (1o de abril), com uma missa matinal às 8:00 na Igreja do Santo Sepulcro e a tradicional procissão de ramos à tarde. Depois, às 14:30 milhares de cristãos do mundo todo irão marchar alegremente de Betfagé, orando e cantando em todas as línguas, até a encosta ocidental do Monte das Oliveiras, através do Vale do Kidron e entrando na Cidade Velha.

Na Quinta-Feira Santa a Missa da Ceia do Senhor será celebrada no Santo Sepulcro às 8:00 pelo Patriarca Latino de Jerusalém, e à tarde (15:30) os franciscanos farão a sua tradicional peregrinação ao Cenáculo (o Aposento Superior) no Monte Sião. À noite, começando às 21:00, os peregrinos e os cristãos locais farão uma vigília com Cristo durante a meditativa Hora Santa no Jardim de Getsêmani, seguida por uma procissão a luz de velas à igreja de São Pedro em Gallicantu, tradicionalmente conhecida como o lugar onde Jesus passou a noite depois de sua prisão.

Na Sexta-Fera Santa, às 8:00, a Paixão de Cristo e a crucificação serão lembradas no Calvário, seguidas pelas Estações da Cruz na Via Dolorosa às 11:30, liderada pelo Custódio Franciscano da Terra Santa.  Depois, às 20:10, o funeral de Cristo será celebrado no Sepulcro, um evento único da Igreja de Jerusalém, que recria a deposição do corpo de Cristo na tumba.

A muito antecipada Vigília Pascal, o clímax da semana, será feita na manhã de sábado às 7:30 na Basílica da Ressurreição, seguida pela entrada solene do Patriarca às 15:30, e a recitação das vésperas às 18:00.

No Domingo de Páscoa uma missa será celebrada às 8:00 com uma procissão em volta da tumba de Jesus e depois a procissão diária sairá às 17:00.

Finalmente, na Segunda-feira de Páscoa, o encontro entre Jesus e os dois discípulos na estrada para Emaús será comemorado com a celebração da Missa no Santo Sepulcro às 8:00, e também pelo Custódio em Emaús às 10:00″.
Fonte: http://www.holyland-pilgrimage.org/pt-pt/node/1426

 

Sexta-Fera Santa, às 8:00, a Paixão de Cristo e a crucificação serão lembradas no Calvário, seguidas pelas Estações da Cruz na Via Dolorosa às 11:30, liderada pelo Custódio Franciscano da Terra Santa.  Depois, às 20:10, o funeral de Cristo será celebrado no Sepulcro, um evento único da Igreja de Jerusalém, que recria a deposição do corpo de Cristo na tumba.

Semana Santa – Adoração da Santa Cruz e Paixão de Cristo

A partir das 15hs de hoje padre Oscar iniciou a cerimônia de adoração da Santa Cruz e a leitura dos capítulos do Evangelho que relatam os passos finais da procissão, crucificação e morte de Jesus Cristo.
Após interrogatório de Pilatos, que ao final afirmou para a multidão não ter motivos para uma pena de morte, Jesus foi condenado à morte na cruz e o assassino Barrabás solto; assim cumpriu-se o disposto na Bíblia.
Com fotos do colaborador Mauro Robert, confiram alguns momentos dessa celebração.

Semana Santa – O Ritual do Lava-pés

Aconteceu nesta quinta-feira da Semana Santa a tradicional cerimônia do “lava-pés”, como parte dos preparativos da Páscoa que acontecerá no próximo domingo.
Com fotos de Mauro Robert, nosso colaborador, mais uma matéria de sua Página de Batalha na Internete.
Abaixo um histórico para vocês internautas:

“Vamos acompanhar os gestos praticados por Jesus no lava-pés (Jo 13, 4-11). Este aconteceu numa refeição. Estar ao redor de uma mesa é sentar-se e partilhar as alegrias, as angústias, as emoções…, também algo para comer.

 Jesus levantou-se da mesa. Ele nos diz que é preciso sair do nosso egoísmo, mobilizar-se, ir ao encontro dos outros. 

 Tirou o manto. Jesus se esvazia de si mesmo e coloca-se na condição de servo. Ele nos ensina sobre a necessidade de despojar-se de tudo o que divide, dos fechamentos, das barreiras, dos medos, das inseguranças, que nos bloqueiam na prática do bem. 

 Pegou uma toalha e amarrou-a na cintura. Jesus põe o avental para servir. “Aquele que era de condição divina, humilhou-se a si mesmo” (Fl 2, 6-8). Ele nos propõe o uso do avental do servir na disponibilidade, e na generosidade, e ainda do comprometer-se com os mais necessitados e colocar-se em último lugar. 

 Colocou água na bacia. Jesus usa instrumentos da cultura do povo: água e bacia. Repete um gesto que era feito pelos escravos ou pelas mulheres. Ele quer nos dizer que para anunciar sua proposta é preciso entender, conhecer, assumir o que o povo vive, sofre, sonha… 

 E começou a lavar os pés dos discípulos. Para lavar os pés Jesus se inclina, olha, percebe e acolhe a reação de cada discípulo. Com o lavar os pés, Jesus nos compromete a acolher os outros com alegria, sem discriminações, a escutar com paciência, a partilhar os nossos dons… 

 Enxugando com a toalha que tinha na cintura. Jesus enxuga os pés calejados, rudes e descalços de seus discípulos. São muitos os gestos que Jesus nos convida a praticar para amenizar os calos das dores de tantos irmãos: visita a doentes e idosos, organizar-se para atender crianças de rua, uma palavra de ânimo a aidéticos, valorização de nossos irmãos indígenas… 

Diante da prática de Jesus podemos nos perguntar: 
Quais os gestos concretos que nós como cristãos/ãs e catequistas, vamos assumir? Será que esta Páscoa pode ser igual a outras tantas? 

Queremos ser a Igreja do avental, que se coloca a serviço na defesa dos que mais sofrem, dos que não têm defesa. Vamos com coragem vestir o avental do servir na alegria e testemunhar todos os gestos praticados por Jesus. Só assim poderemos realizar sempre a festa da Ressurreição. Feliz Páscoa! ”

Ir. Marlene Bertoldi
www.portalcatolico.org.br

Domingo de Ramos – A Celebração

Com o ginásio poliesportivo prefeito Messias Freitas lotado, deu-se a celebração dos ritos litúrgicos do Domingo de Ramos.
A comunidade católica batalhense atenta aos rituais cristãos participou ativamente de cada momento, prestando muita atenção; muitos cheios de emoção.
Mais uma vez por parte da igreja faltou preparar com mais entusiasmo alguns momentos tidos como cruciais para um maior envolvimento dos presentes. Sentimos falta de uma acolhida e a narrativa da paixão foi simplesmente uma leitura sem empolgação. Mesmo sentimento foi compartilhado no grupo de católicos batalhenses na rede de relacionamento virtual whatsApp pelo professor Nonato Silva e Dácio Carvalho, filho da fervorosa Verônica.
Foram mais de 200 fotos registradas e aqui colocamos perto de 100 para vocês internautas no ano em que a Página comemora 10 anos de existência.

Domingos de Ramos – A Procissão

A Semana Santa tradicionalmente se inicia no Domingo de Ramos, porque celebra a entrada de Jesus em Jerusalém montado em um jumentinho, representando humildade. O povo simples aclamava e aplaudia Jesus representando  “Aquele que vem em nome do Senhor”.
“O mesmo povo que vira Jesus ressuscitar Lázaro de Betânia havia poucos dias e estava maravilhado. Ele tinha a certeza de que este era o Messias anunciado pelos profetas; mas esse mesmo povo tinha se enganado no tipo de Messias que Cristo era. Pensavam que fosse um Messias político, libertador social que fosse arrancar Israel das garras de Roma e devolver-lhe o apogeu dos tempos de Salomão” (Canção Nova).
Em Batalha a procissão não foi representada como manda a tradição: não houve o jumentinho e faltou o canto “Hosana” entoado pelos fiéis e sim um som mecânico. Como bem lembrou o professor Nonato Silva, uma voz presente em nossa comunidade católica.
Vejam as fotos da procissão na cobertura da Página de Batalha, dez anos no ar!

Domingo de Ramos – Encontro dos fiéis na Capela de São Francisco

Aos primeiros raios de sol de uma linda manhã de inverno o povo católico batalhense reuniu-se na capela de São Francisco, no bairro Esperança, para dar início à celebração do Domingo de Ramos.
Padre Oscar à frente de sua primeira Semana Santa como líder espiritual dos fiéis da igreja.
Vejam as fotos que mostram o grande números de religiosos vindos de todas as regiões de nosso município.

Abertura da Semana Santa de 2015 – Procissão Bom Jesus dos Passos

A tradicional procissão que abre a Semana Santa dos católicos em Batalha aconteceu na sexta-feira, dia 27, a paritr da capela de São Raimundo Nonato de onde saiu em cortejo a imagem de Bom Jesus dos Passos e fiéis seguidores, enquanto da capela de N.S. de Nazaré saiu N.S. das Dores. As procissões se encontraram e seguiram juntas para o ginásio poliesportivo prefeito Messias Melo, onde estão sendo celebradas as missas enquanto se dá a reforma da igreja matriz.
Com fotos de Mauro Robert, prá vocês mais um evento religioso de nossa terra.
Abaixo, leiam sobre a origem da procissão (trecho extraído do portal wikipedia.org

“Nosso Senhor dos Passos é uma invocação de Jesus Cristo e uma devoção especial na Igreja Católica a ele dirigida, que faz memória ao trajeto percorrido por Jesus Cristo desde sua condenação à morte no pretório até o seu sepultamento, após ter sido crucificado no Calvário.

A história desta devoção remonta à Idade Média, quando os cruzados visitavam os locais sagrados de Jerusalém por onde andou Jesus a caminho do martírio, e quiseram depois reproduzir espiritualmente este caminho quando voltaram à Europa sob forma de dramas sacros e procissões, ciclos de meditação, ou estabelecendo capelas especiais nos templos.

No século XVI se fixaram 14 momentos principais deste trajeto, embora o número tenha variado na história do catolicismo de sete a 39. Estes pontos principais são chamados de as estações ou os passos da Paixão de Cristo ao longo da Via Sacra ou Via Crucis. São eles:

Esta invocação se tornou muito popular em alguns países como Portugal e Brasil, dando origem a rica iconografia e onde existem inúmeras igrejas fundadas sob sua proteção, e na Quaresma são realizadas procissões especiais chamadas de Procissão dos Passos ou Procissão do Encontro 1 .

A procissão do Senhor Jesus dos Passos, organizada pela Real Irmandade do Senhor dos Passos da Graça, com sede na Igreja de Graça, em Lisboa, teve origem no ano de1586, fundada pelo pintor Luís Alvares de Andrade2.

Tema Por Premium Wordpress