ÚLTIMAS NOTÍCIAS

SAUDADE

Ponto de Cultura Nossas Raízes – Homenagem ao Mestre Paco-paco

A Página de Batalha publica a bela homenagem do Ponto de Cultura Nossas Raízes, de 22 de dezembro de 2012, quando lhe foi prestada mais uma homenagem pelo seu trabalho há mais de 70 anos em prol da cultura batalhense.

Mestre Paco-paco

A morte do batalhense Adir Cunha

A Página de Batalha na Internete registra com pesar a morte do batalhense Adir Cunha, filho de D. Dora Cunha que morava na Rua Nova, de saudosa memória.
O pai de Adirzinho caminhava rumo aos noventa anos. Abaixo algumas fotos ao lado de pessoas do seu convívio como Aurino Duarte, Carlos Magno e Antônio Machado Barbosa.
Aos familiares os nossos sinceros sentimentos de pesar.
George Machado Tabatinga, responsável pela Página

Saudades do Mestre Joaquim Cícero da Costa

O dia primeiro de abril e o dia sete de maio, são para a história cultural de Batalha duas datas inesquecíveis: aniversário de nascimento dos mestres Quinca e Fabiano, respectivamente.
Se estivesse em Batalha hoje teria ido bem cedinho ao cemitério com meu clarinete pra tocar a valsa Maria de Nazaré e o hino a Nossa Senhora de Lourdes. Páginas inesquecíveis do nosso cancioneiro, composições suas, mestre Joaquim Cícero.
Ainda não caiu a ficha, mestre! Para mim você continua bem vivo na lembrança, nas minhas orações diárias e por toda minha vida.
No dia 15 de dezembro, como parte das comemorações do Dia da Emancipação Política de Batalha, com o auditório da Câmara lotado, graças ao empenho da presidente vereadora Patrícia Vasconcelos e do Ponto de Cultura Nossas Raízes, sob comando da professora Socorro Silva e do seu neto Lucélio Costa, parte de sua família e a sociedade batalhense alí representada por pessoas simples em sua maioria presenciaram um belo momento cultural e artístico com o lançamento do CD As 10 Mais Sapecas do Mestre, com músicas suas. Assim, encerramos o ano de 2012 no calor de suas canções em belos arranjos do músico cearense Alves Nascimento.
Veio o festejo e uma banca foi montada na barraca da paróquia para que sua obra pudesse ser adquirida por aqueles que não participaram do lançamento. Mais uma vez a associação Nossas Raízes esteve à frente divulgando o disco e algumas camisetas com sua foto estampada. O festejo foi avançando e apenas dois exemplares foram vendidos. Enquanto isso, o que se ouvia nos “pancadões” instalados nos carros espalhados pelas praças era uma barulheira sem fim, um gosto musical duvidoso e  letras de duplo sentido ou sentido vulgar. Um ruido ensurdecedor e um descaso total para com nossa cultura.
Mas a nossa banda de música continuou a tocar nas procissões, alvoradas e animando os leilões. Agora também um café da manhã todos os dias na casa de um paroquiano após a primeira alvorada. Mais uma ideia do Padre Evandro que veio pra ficar.
E assim a luta continua. Temos prefeito interino mas nada ainda foi feito no sentido de reorganizar a banda e implantar uma escola de música em nossa terra.
Fico a imaginar como está animado o dia de hoje por aí: Fabiano, Zé Dilino, Pantim, Tirira, Zé Sará, Canilinha, Zé Lobim, Gonçalo, Pantico, Batistinha, Cosme, Calado, Fausto, Aloísio, Eliomar, Satilo, Chico Bobô, Cristino … e tanta gente a festejar seu aniversário!
Feliz Aniversário, meu amigo!
George Machado Tabatinga, responsável pela Página

Batalhense falecidos no mês de março

     A Página de Batalha relembra com saudade os batalhenses falecidos no mês de março que durante os anos costumamos homenagear como forma de manter viva a lembrança de pessoas queridas de nossa sociedade.
Registramos a figura do ex-vereador Valdeci Ferrreira da Silva, falecido dia 26, e lamentamos a falta de uma foto sua para publicar.
Aos familiares de Chagas Sampaio, Teresinha Carvalho e Valdeci Ferreira nossos sinceros sentimentos de pesar.
George Machado Tabatinga, responsável pela Página

Comentários:
Enviado por maria Jose Melo em 16/04/2013 às 13:12:55
Relembro com muitas saudades do Seu Chagas Sampaio….Quem não se lembra dele! Homem sincero, honrado, leal, honesto, sempre muito acolhedor e disponível. Não me esqueço nunca das palavras que ele me dizia: MEU PINGO DE OURO, MINHA PÉROLA… Eram palavras carinhosas e sinceras. Sinto Saudades dele e rogo a Deus que o acolha no seu reino, que está nos céus… Quero cumprimentar, mesmo com atraso, seus filhos, a quem os considero muito. Quero cumprimentar também meus primos, filhos da tia Teresinha….Sinto muitas recordações dela, bem como relembro também do inesquecível Gonçalo Carvalho. Abraços a todos os meus primos. George Tabatinga, meu amigo, amigo de todos os batalhenses, presente em todos os eventos…. gostaria de lhe lembrar que meu saudoso pai CRISTINO MELO, faleceu no mes de março, no dia 16.03.1999. Hoje, portanto completam 14 anos e um mês que ele nos deixou, que ele partiu para a casa do pai. Por isso eu lhe digo agora essas palavras sinceras: Há pessoas na vida que a gente não esquece nunca…. apenas aprende a viver sem elas. E o papai é uma dessas pessoas, assim como o seu Chagas Sampaio, Seu Sena, Tio Quaresma, entre muitos outros batalhenses que já se foram. Saudades de todos e abraços fraternos aos parentes e amigos.
Enviado por Helder Sampaio em 04/04/2013 às 19:32:36
Dona Teresinha que DEUS a tenha em um bom lugar, grande amiga de minha família, lembro muito que eu passava para ir a igreja e ele estava sempre sentada à porta de sua casa, como também nosso amigo Gonçalo Carvalho. Meu amigo Marco Antonio não sumí, são as tarefas do dia a dia, aí fazem nós nos afastar-mos um pouco, saudades de vc, vamos combinar para nos encontrar-mos na nossa terrinha. abraços.
Enviado por Marco Carvalho em 04/04/2013 às 09:53:26
Olá George, obrigado por lembrar da mamãe… e o “Seu Chagas’ ao lado da mesma, gente muito boa por sinal…gostava muito de falar com ele, pessoa muito alegre e bacana…abraços ao Helder e à família dele…o Helder sumiu, como outros conterrâneos, essa sumida desse povo nos dá uma saudade danada, heim, George? Só mesmo vendo fotografias antigas e ouvir estórias e História sobre Batalha para relembrar tanto tempo bom (o carnaval nos banhos de batalha, as semanas-santas com muita variedade de comida caseira, os festejos animados… isso dá uma vontade enorme de tentar fazer um filme sobre Batalha para, pelo menos, voltar no tempo TANTAS ALEGRIAS E LEMBRANÇAS guardadas na memória. Abraços, Marco Carvalho.
Enviado por Helder Sampaio em 02/04/2013 às 19:11:03
Prezado George, quero aqui lhe agradecer pela lembrança do aniversário de morte de meu querido, inesquecível, exemplo vivo da honestidade, humildade, carater, equilíbrio e amigo de todas as horas.Que DEUS o tenha em um bom lugar. PAPAI NÓS LHE AMAMOS. seus filhos Helder, Socorro e Helder Jr.

Mestre Quinca, descanse em paz … Amém

MestreQuincaAlvorada das cinco da manhã de hoje será eternamente lembrada como a última alvorada de Joaquim Cícero da Costa, nosso Mestre Quinca.
Batalha amanheceu entristecida com a perda de seu mais ilustre representante cultural vivo. Assim, a tríade dos nossos maiores compositores e instrumentistas se desfaz na terra para se recompor nos céus. Fabiano, Pantim e Quinca agora estão todos reunidos para a maior de todas as composições possíveis: a vida eterna.
Decrto já conheci muita gente humilde mas como meu amigo Mestre Quinca jamais. Ele dava o exemplo, sem palavras mas com gestos. Chegava mais cedo, sentava no patamar e ficava ali preocupado com a chegada de algum músico atrasado para a alvorada das cinco da manhã. Seu genro e músico, filho do saudoso Boioda, conhecido por Papagaio, era quem o levava; sempre zeloso e o tinha como pai.
Costumo desligar o celular antes de dormir e religar ao sair para o trabalho. Ao fazê-lo hoje percebi muitas chamadas não atendidas e algumas mensagens. Estranhei um pouco e logo tocou o primeiro que atendi. Era o Michico, também músico e o maior de todos como baterista segundo o próprio Mestre Quincas, que me dava a triste notícia meio que soluçando, pela perda do amigo dileto de tantas décadas. Em seguida, Bel Lima que estava de saída pra Fortaleza, que me passou para Haroldo Costa, filho do mestre, a quem transmiti meus sentimentos de pesar para toda a família. Bel Lima adiou a viagem pra ficar ao lado do mestre e de seus familiares. Meu outro amigo Antônio Trindade ligou chorando copiosamente, pois perdera o amigo dos cafés matinais no mercado. Confesso que nunca o vi chorar; fiquei perplexo com a emoção e não tive como evitar e daqui chorei sorrateiramente para dissimular e poder entender suas palavras trêmulas. Lima Neto, seu companheiro de tantos toques deixou uma mensagem. Otávio Neto, seu sobrinho, também músico e que perdeu seu pai Chichico recentemente, também deixou uma mensagem. Meu amigo Lucimar Rocha já havia tentado muitas vezes,mas conseguiu a ligação e me transmitiu a triste notícia. Ele que com a Voz da Pororoca teve a missão de estender essa dor a todos os batalhenses com uma locução que com certeza ele nunca gostaria de ter feito. Ossos do ofício, meu amigo! Me disse ainda que o programa de hoje foi todo dedicado ao mestre. Que bom ouvir isso, Lucimar!
Enquanto seguia para o trabalho meus primos e irmãos Zé Edson e Soraia Tabatinga também ligaram para comunicar a triste notícia. Ao longo do dia vai ser assim. É a vida.
O dia 13 de julho de 2012 agora pertence à nossa história para sempre. A partir de uma tristeza imensa, para uma eterna saudade.
Meu Mestre, tô chegando. Avise a todos, viu? Vai ser uma alvorada daquelas!
George Machado Tabatinga, seu amigo para sempre

 Comentários:
Enviado por francisco das chagas silva cunha em 11/08/2012 às 12:35:12
obrigado por ter representado nossa cidade tao bem mestre kinca.que deus a tenha em seu lado . amem
Enviado por Chagas Filho em 13/07/2012 às 19:11:25
Que triste partida, acabo de receber com sentimento, a noticia da morte de um dos maiores maestro de musica que ja conhecie toda minha vida, SR.MESTRE QUINCAS, abraço a todos da familia, em especial ao meu amigo Haroldo Chagas Filho.
Enviado por CUNHA E BARROS em 13/07/2012 às 14:18:12
Valeu,grande envergadura cultural,seus ensinamentos ficam como exemplicidade para a eternidade…
Enviado por Lucimar Rocha em 13/07/2012 às 12:53:57
É isto mesmo, assim é a vida: um dia a gente nasce trazendo tantas alegrias e um dia a gente parte deixando a dor da saudade. Cumpri o meu dever hoje pela manhã entregando a triste notícia…
Enviado por CLAUDINER PLATINI DA SILVA E FAMILIA em 13/07/2012 às 12:15:08
DESCANSE EM PAZ SAUDOSO,E O NOSSO QUERIDO MESTRE QUINCA QUE DEUS ILUMINE SEUS PASSOS AI NO CEU:ABRAÇOS MUITO TRISTE PARA NOSSOS AMIGOS DA FAMILIA COSTA.
Enviado por antonio messias lima em 13/07/2012 às 12:01:18
Quando se ouvi uma bela música, sempre haverá uma saudade do mestre Quincas. Parabens a Deus, por receber mais um mestre no reino dos céus. Condolências de pesar à familia.
Enviado por Socorro Tabatinga em 13/07/2012 às 10:25:06
Festa no céu! Verdade George, mais um Mestre chegando para alegrar mais ainda a eternidade. Aos familiares nossos sentimentos, e a certeza de que, fica saudade mais um dia nos encontraremos junto do Pai. Paz e benção! Abraço de Sergio Tabatinga e Família.
Enviado por Leoni Quaresma de Melo em 13/07/2012 às 10:15:25
Minha querida BATALHA! chore bem alto e despreenda esta dor que é profunda, motivo: o sentimento mortalmente ferido pela perda de um dos seus filhos mais ilustres – O NOSSO QUERIDO MESTRE QUINCA BOI – que nesta sexta-feira 13 de julho partiu, chamado pelo MAESTRO DOS MAESTROS para compor com maestria a BANDA BATALHENSE que anima a alvorada celestial todas amanhãs no Paraíso do Nosso DEUS. Obrigado Mestre Quinca por ter nos oferecido tanta alegria, pelo dom singular de ser um valoroso artista. Em nome do Compadre Quinsinho transmito as minhas condolências de pesar a toda família amiga.

Álvaro Vaz – Aniversário de morte

A Página de Batalha relembra com saudade a figura centenária de Seu Álvaro, felecido nesta data ano passado, aos 97 anos de idade..
Casado com D. Ana Deusa de Melo Vaz, conhecida por Sinhá Melo. Pai de Clara Maria, Baltazar Sobrinho, Ana Deusa (Nanoca) e Álvaro Filho.
Transcrevemos abaixo os comentários publicados em sua homenagem para que vocês relembrem e guardem na memória a lembrança do saudoso batalhense.
À sua esposa, filhos e demais familiares os nossos sinceros sentimentos.
George Machado Tabatinga, responsável pela Página de Batalha

======================================

Enviado por Ver. Nenem em 13/05/2011 às 22:12:20
Não morreu apenas o homem Alvaro Vaz, morreu uma fonte histórica, um arquivo da nossa história, conhecia como ninguem as entrelinhas do começo da freguesia de São Gonçalo, todos os detalhes, os desbravadores. A pergunta é a seguinte: Quem contará a história de homens como Álvaro Vaz?
Enviado por Sérgio e Socorro Tabatinga em 12/05/2011 às 12:17:02
Como disse nosso estimado Pe. Leonardo, estamos vivendo esse tempo pascal onde o Cristo vence a morte. Nesta certeza que nos fortalece com eucaristia com a oração, pois acreditamos na promessa: ” Na casa de meu Pai há muitas moradas, e eu vou prepara-las para vós”. A todos da família de Sr. Álvaro nosso abraço fraterno. Família Tabatinga
Enviado por Cunha e Barros em 11/05/2011 às 22:02:00
Lembro-me de uma visita que fiz ao senhor Alvaro, com meu primo João Antonio o qual estava com quase 50 anos que não aparecia em Batalha e quando o mesmo falou de um picolé de bacuri,foi logo reconhecido pelo feitor do melhor picolé de bacuri já feito em Batalha,que foi logo dizendo não tenho o picolé João Antonio,filho do meu amigo Rui Amaral,mas tenho o doce que você também sempre gostou.Fiquei muito impressionado com tamanha lucidez e sem entender muito bem como?um senhor,com tanta idade,tinha em seu quengo tantas coisas boas de uma cidade tão pura como a nossa,pude sair dali com o conhecimento de um dos melhores relatos sobre minha familia e sua existência vivida aqui pelos meus,sou muito grato até hoje pela amizade de minha mãe,com este casal que que sempre tiveram a sapiência de receber bem todos os que visitam sua casa,coisa esta, hoje esquecida por muitos. É ainda com grande carinho que passo adiante este pegueno relato sobre a fortaleza deste ser,Cunha,Jesus,Mitsrael e Isarnã.Contigo o apreendizado,nunca descansa sempre norteai os lares Batalhenses…
Enviado por Chagas Filho em 11/05/2011 às 19:18:09
A tia Sinhá e aos filhos os meus sentimentos. Abraços, Chagas Filho.
Enviado por bel lima em 11/05/2011 às 15:33:18
eu hoje sou um homen de respeito, trabalhdor, e tudo isso aprendi com meu a vô, mais o começo da minha vida de trabalho, quem meu deu o primeiro trabalho foi seu alvaro, botava comida pras vaças dele trabalhava na moajeira, na maquina de pilar arrôz, vendia atá, e tudo mais. então agradeço a deus por ele ter feito esse começo. e sei que agora ele vai estar melhor ainda, por que ele agora estar com deus. e ele estar sendo iluminado, com a luz divina de jesus;( salve deus)
Enviado por José Amorim de Carvalho em 11/05/2011 às 08:24:10
Sai do convívio físico, da matéria e entra em uma nova fase o “sr”. Álvaro Vaz, desta feita, como eterno filho do criador, a verdadeira imagem e semelhança de Deus. A matéria foi descartada, porém, o verdadeiro Álvaro Vaz está liberto do mundo da matéria física, adentrou o mundo maior, onde recolherá conforme suas obras aquilo que fez,ou plantou, conforme texto Bíblico. Não existe tristeza, para o “sr” Álvaro, pois, este já estava sendo aguardado e de forma alegre por aqueles que o esperavam do outro lado, afinal, a vida continua, todavia, deixa uma lacuna muito grande entre os seus queridos familiares. As primeiras horas são as mais terríveis, pois, fazem um torpor inigualável, tanto no que parte, como naqueles que o estão assistindo. É inigualável e fantástica esta passagem, porém, existe um fato que considero também igual, mas que nossos ollhos de ver não alcançam, é a TRANSSUBSTANCIAÇÃO, ou seja, a transformação do pão e vinho, no corpo e sangue de JESUS. Daqui, neste momento, quero me solidarizar com seus familiares, afinal, somos contemporâneos e tenho um grande carinho por estes e principalmente pelo grande homem de fé e de luta que foi e é o “sr”. Álvaro Vaz.
Enviado por Pe. Leonardo de Sales em 10/05/2011 às 19:33:11
Considero uma feliz coincidência que o falecimento do Sr.Álvaro Vaz, aconteça examente no tempo pascal. Tempo da memória da vitória de Cristo sobre a morte, na Páscoa de Cristo, seu Álvaro, também, fez a sua passagem para a casa eterna, onde não se tem notícias de dor, nem lamento. Seu Álvaro, junto a outras figuras de nossa Batalha, são figuras sínteses, que aos poucos estão se acabando,e as gerações subsequentes estão longe de serem os nossos “medalhões” históricos do futuro. Com a morte dessas fíguras uma parte de nossa história se encerra. Daí a importância da memória e o registro de seus feitos! Quando menino me lembro das peripécias que fazíamos, pulando o quintal do seu Àlvaro para pegar suas afamadas mangas rainhas,das carreiras dele para nos pegar, idos tempos…Quem não se lembra na Batalha, da famosa “rural” do seu Álvaro? Ou de sua figura, qual um general, nas esquinas a fiscalizar como “apontador” os trabalhadores na rua? Tinha fama de “bravo”, mas seu coração éra de um menino, assim o dizem os que conviveram mais de perto com ele! Talvez tenha feito seu o lema do Papa João XXIII: “Para mim terei a severidade de juiz, para o próximo a doçura de uma mãe, para Deus um coração de menino”. Quando de minha última ída à Batalha, ficou gravado na minha memória a sua figura, quando a procissão do Glorioso avançava rumo à matriz, lá estava ele e Dona Sinhá, qual dois videntes, de olhos fixos na imagem do nosso padroeiro. Agora sem mangas, sem “rural”, sem a companheira de sempre a sua “Sinhá”,receba do Pai Eterno, o prêmio pela sua vida, e pelos seus feitos, que Deus o acolha e, a seus familaires a certeza de nossa preces. “Aos que a dor da separação intristesce a certeza da ressurreição os consola” (da liturigia da missa dos mortos, prefácio III). Pe. Leonardo de Sales
Enviado por Antonio Machado Barbosa em 10/05/2011 às 17:53:28
Desde a minha infância que conheço o Sr. Álvaro Vaz e por essas passagens fico a sentir mais ainda, o seu falecimento. Dona Sinhá e seus filhos e demais familiares, recebam agora minha solidariedade nesse momento difícil. Esta vida aquí é rápida e logo mais estaremos todos, numa situação melhor. Meu abraço fraterno.
Enviado por Helder Sampaio em 10/05/2011 às 17:04:08
É com profundo sentimento de tristeza que recebemos a notícia da morte do Sr. Alvaro Vaz, grande amigo de meus pais, cidadão de carater reto e incomparável, nossa cidade perde um grande homem, mais com certeza ele estará perto de DEUS. Abraços de pesar a Clara Maria,Balta,Nanoca,Alvaro Filho e em especial a Tia Sinhá. Abraços Helder e Odisséia.
Enviado por Leoni Quaresma de Melo em 10/05/2011 às 16:27:10
É com profundo sentimento de tristeza que recebemos o noticamento do falecimento do nosso querido Álvaro Vaz. Na sua caminhada de retidão, exerceu com competência em nossa cidade, grande influência em todas as áreas das atividades econômicas, religiosas, jurídicas, políticas e sociais. É com reconhecimento de causa que insto a todos os Batalhenses a prestarem reverência este Grande Cidadão, que infelizmente fará caminhada no convívio com o nosso PAI ETERNO. A todos os amigos da família, com especial a D. Sinhá meu abraço de pesar.
Enviado por Elizabete Alencar em 10/05/2011 às 15:53:15
A Dona Sinhá e aos filhos e demais familiares os nossos sentimentos e um que Deus os console em tão triste momento. Nossos sentimentos.Verbena,Elizabete e filhos.

 Comentários:
Enviado por Francisco das Chagas Ferreira Gomes em 11/05/2012 às 22:07:53
Existe um lugarejo chamado Bolívia, era lá que o Sr. Álvaro junto com D. Sinhá passava boa parte de seu tempo, ele era apaixonado por aquele lugar. E eu tive a oportunidade de acompanhá-los, pois era eu quem levava o leite que o vaqueiro dele tirava todos os dias e eu transportava para a cidade. Foi o meu primeiro emprego e ele o meu primeiro patrão. Peço ao Deus do Céu que o acolha na sua morada eterna. O povo de Batalha vai demorá muito tempo prá esquecer aquele que em vida foi trabalhador, influente e sincero. São Gonçalo rogai a Deus pela alma do Sr. Álvaro, amém. Francisco das Chagas – Manaus Am.

A Morte do Magarefe Herbert Ramos Lima

Faleceu ontem por volta das 23:45h no Hospital Messias Filho o magarefe aposentado conhecido por Bete Marcolino, pai do Zé do Bete, Maria José e Maria dos Mares. Morador da Rua Antonio Pedro de Almeida, vizinho dos saudosos Cosme e Chico Olímpio. Rua que antigamente muitos chamavam de Beco da Maria Cocóia.
Seu Bete, assim chamado acreditamos que pela dificuldade de pronunciar o nome verdadeiro, Herbert. Coisa que pra nós matutos fica mesmo dificil.
Magarefe das antigas, companheiro de Zé Pirralha, Barnabé, Chico Olímpio e tantos outros.
Seu Bete Marcolino era tirador de buriti dos bons. Na localidade Canoa, depois do Catombo, onde foi morador por muitos anos, subia em buritizeiro onde cabra mais novo faltava coragem. Pisava nas palmas e balançava os cachos que não sobrava um fruto agarrado ao cacho.
Seu filho Zé do Bete nos informou que a família espera pela filha Mazé vindo de São Paulo. O enterro deverá acontecer ao cair da noite no Cemitério São José. A família convida a todos os parentes e amigos para a cerimônia.
George Machado Tabatinga, responsável pela Página. Com a colaboração de Leo Castro que nos enviou as imagens.

 Comentários:
Enviado por Helder Sampaio em 18/04/2012 às 19:13:11
Sr. Bete, grande amigo de meu pai, fui muitas vezes comprar carne com meu pai no mercado ao 4:30 da madrugada e lá estava o amigo Bete em seu quiosque, vendendo carne. A todo família meu abraço de pesar pelo faleceimento deste amigo, em especial ao meu amigo Zé do Bete. Helder e Odisseia.
Enviado por Antonio Francisco em 18/04/2012 às 13:53:24
Conheci seu Bete desde meus tempos de infancia!!!!Vendeu muita carne no mercado da nossa amada Batalha!!Sempre o via em sua carroça trafegando nas ruas com alegria!!!!Estive em seu funeral !!!DEus console a familia diante da dor imensurável!!!

Bico de Ouro morreu na madrugada de sábado para domingo

Zé Afonso era figura querida em Batalha. Com sua banquinha de verduras, ervar medicinais, abóbora e outras ítens comuns a toda banca de mercado ia levando a vida. Ajudando a sustentar a mãe com quem vivia desde que a bebida lhe causou a perda da esposa e do convívio com os filhos.
Bico de Ouro era pessoa simples, de sorriso fácil. Na foto que ilustra a matéria exibe seus dois troféus de um e dois anos sem beber um trago. As pequenas medalhas lhe ajudaram muito na manutenção de longos períodos de abstinência.
São esses e tantos outros exemplos que nos fazem refletir o quanto nós seres humanos somos frágeis. E quando se tem pouca instrução e nenhum apoio, como por exemplo de uma assistência social pública, é quase impossível dominar um vício, uma dependência química sozinho.
Aos familiares do amigo Bico de Ouro os nossos sinceros pêsames e orações.
George Machado Tabatinga, responsável pela Página

 Comentários:
Enviado por Antonio Francisco em 16/04/2012 às 23:30:22
Estive na sentinela deste ser tao divertido e pude perceber a tristeza imensurável de sua amada mae!!!Fico muito triste quando vidas sao ceifadas pelo alcoolismo e outras drogas maléficas!!!!Desejo que aqueles que sao cativos do alcool se libertem e vivam melhor e mais!!!!

Padre Wolfgang Hermann- 5 anos de sua morte

A Página de Batalha relembra com saudade do inesquecível Padre Wolf e de sua passagem como pároco de nossa cidade.
Um jovem alemão de porte alto  que esteve à frente da Paróquia de São Gonçalo por seis anos.
Chegou aqui exatamente no dia do Levante da Bandeira do Festejo de N. S. de Lourdes, em agosto de 1995, quando a procissão descia a ladeira do morro da Saudade sob o passo rápido de Seu Sena, de saudosa memória, empunhando a bandeira principal.
Hoje faz parte de nossa história recente e será sempre lembrado em nosso portal.
George Machado Tabatinga, responsável pela Página

A morte do querido farmacêutico Dico Lopes

Faleceu ontem em Teresina, por volta das 18:00 horas, o nosso Velho e querido Farmacêutico  Raimundo Nonato Lopes, popularmente chamado de Dico Lopes. O corpo foi velado ontem à noite em Teresina mas logo seguiu para Batalha. O enterro está previsto para logo mais , às 16:00 horas de hoje. Aos familiares os nossos pêsames em nome da sociedade batalhense.(Leoni Melo, colaborador da página)

Comentários:
Enviado por laura em 23/10/2009 às 10:54:18
Hoje foi que eu vim saber da morte do meu tio Dico e hoje também descobrir este site. Minha tia Ressú lamento muito e lamento mais ainda por não saber do acontecido, é lamentável e triste eu que encontrei pessoas e elas nunca me falaram não dá para acreditar que todos esses anos agora foi que eu vim saber. bjs minha tia Ressú amo a senhora o tempo nos separa mas do meu coração jamais
Enviado por HENRIQUE CÉSAR LOPES em 29/08/2008 às 12:54:22
“Aqueles que amamos nunca morrem, apenas partem antes de nós.” Apesar de nao ter conhecido meu tao querido tio, fiquei muito comovido, fica na lembrança eterna meu tio DICO Lopes.
Enviado por Maria Ceci R. de Melo Facó em 26/08/2008 às 03:07:25
É com imenso pesar que li nesta página o falecimento do “Sr. Dico”. À D. Ressú, Vanda, Elenita, Rdo Nonato, Irismar, Solange e Gracinha nossas condolências pela partida do nosso eterno “farmacêutico”. Ceci Facó e de toda a família da D. Sinhá.
Enviado por ISAIAS OLIVEIRA DE NEGREIROS em 25/08/2008 às 13:52:02
Realmente a perca de seu DICO LOPES,vai deixar um imenso vazio,pois quem em batalha não precisou dos serviços dele buscando medicamntos que tão bem sabia receitar.um abraço a família inlutada……………
Enviado por Helder Sampaio em 25/08/2008 às 11:16:03
Meu caro George, é muito difícil andar em Batalha e não ver mais este querido filho ilustre, um cidadão de predicado moral jamais visto em nosso município, honesto, trabalhador, era o nosso médico. Lembro que quando sentia alguma coisa(problema de saúde) a minha mãe Odisséia dizia logo vou falar com o DICO e logo ficava bom. Abraçamos nossos queridos familiáres na pessoa de meu AMIGO DR. NONATO LOPES. Helder , Chagas e Odisséia.
Enviado por Maurício Batalha em 24/08/2008 às 22:54:49
Recorro a este espaço para manifestar minhas condolências a todos os familiares do senhor Dico. Saí de minha cidade muito novo. Mas, enquanto lá morei, fui testemunha dos esforços desse senhor em aliviar o sofrimento alheio. Agora, há 16 anos longe de minha terra querida, desejo apenas que minhas condolências cheguem ao conhecimento da toda a família do seu Dico. Abraços de um batalhense até no nome Maurício Batalha
Enviado por Selma Vieira Fortes de Melo em 24/08/2008 às 10:21:36
Batalha em sua totalidade sentirá a falta desse notável farmacêutico Sr. Dico Lopes que prestou seus conhecimentos em medicina curando e aliviado dores em milhares de pessoas. Pra mim, ele e o Sr. José Altair, foram uns enviados por Deus para prestarem um relevante serviço à sociedade Batalhense. Restando-nos agora agradecer á DEUS e pedir-lhe o conforto para seus familiares e que todos vejam que sua trajetória aqui, marcou pela sua missão bem cumprida. A todos os familiares do Sr. Dico os meus sentimentos e também o da família Fortes.
Enviado por raimundo jose rodrigues da silva (zezao) em 23/08/2008 às 20:45:35
foi uma pessoa incomparavel, sorridente alegre e muito gente boa.
Enviado por Luiz de Moura Correia em 23/08/2008 às 18:32:09
Em nome do judiciário batalhense manifesto a família de Raimundo Nonato Lopes o nosso profundo pesar, Bacharel Luiz de Moura Correia.
Enviado por antonio jose de melo em 23/08/2008 às 17:22:14
Sinto que batalha ta ficando cada dia menor, o ciclo da vida ta sempre tirando pedaços importante desta cidade. melo
Enviado por Leonardo de Sales em 22/08/2008 às 19:09:14
Com pesar li a mensagem nesta página sobre o falecimento do “seu Dico”, assim aprendi desde menino a chamá-lo. Quantas e quantas vezes fui à sua farmácia em busca de algum remédio, ele conhecia de cor o nome de todos os farmacos, mas sempre tive medo de suas injeções (rrs),ele sempre acalmava-nos com algumas balas. Que Deus que o chamou o receba em sua casa e tenha misericórida de sua alma e faça valer a sua dedicação, pois ele fez de seu balcão um altar, onde muitas vidas foram salvas, graças à sua mediação e sabedoria e de sua profissão um sacerdócio a serviço da comunidade batalhense, são estas cosias que contam para Deus, e não outras como muitos insistem em pautar a vida, em aparências e subterfurgios que beirão a mediocridade. A última imagem que guardo viva nal embrança foi de sua figura franzina à porta de sau casa junto à sua família, quando a Procissão de São Gonçalo, passar na sua porta. Que o mesmo olhar de esperança que eu o vie lançar cheio de fé para aquela demonstração de amor a Deus, na expressão religiosa de nosso povo, esteja a receber sua vida feita de oferta, no serviço aos mais fracos e pobre, que o amado Jesus o faça experimentar as delícias eternas, e à sua família a certeza de nossa orações e preces. “seu Dico” até a eternidade e de lá continue receitando-nos remédios para os nossos males, dentre eles o pior de todos o da falta de amor e gratidão. Santo de Deus correi ao seu encontro , anjos do Senhor ide ao seu auxílio. Leonardo Sales, Lins -SP
Enviado por Genésio da Silva Araújo em 22/08/2008 às 11:46:58
Batalha perdeu um grande farmacéutico, uma pessoa do bem eu mesmo estou distante pois estou em são paulo, mas já fui atendido pelo sr.Dico varias vezes quando Morava ai em nosso Municipio de Batalha mas hoje pelo endereço eletronico fiquei sabendo dessa grande perda pra a familia e pra todos os batalhenses. minhas condulhenças a todos os familiares Genésio – bom dia.
Enviado por Lucimar Rocha em 22/08/2008 às 10:00:27
Batalha, realmente perde um filho ilustre, amigo, um benfeitor. Um homem simples, humilde, mas de grandes predicados morais. Pai exemplar, amigo de todos. Grande conhecedor dos segredos farmaceuticos. Quantas e quantas pessoas foram por suas mãos curadas e amenizada a sua dor. Quantos e quantos pais de familia, às altas horas da noite bateram à sua porta pedindo um atendimento, no desespero de ter em casa um filho, um ente querido doente. Batalha ainda desprovida dos recursos de que hoje dispôe, era o mestre Dico que medicava as pessoas (para não esquecer também o nome de José Altair) Nossos sentimentos à família enlutada. Lucimar Rocha
Enviado por clayson em 21/08/2008 às 21:32:15
Lamento profundamente a perda repentina de nosso querido amigo Dico Lopes como assim o chamava. Partiu mais deixou um grande legado a nossa cidade, relevantes serviços prestados a comunidade batalhense, seja como Vereador, como farmaceutico, ou simplesmente como bom amigo. Vai me fazer muita falta. Minhas condolencias a família . Clayson Amaral
Tema Por Premium Wordpress