ÚLTIMAS NOTÍCIAS

SAUDADE

JOÃO FORTES – UM ANO DO SEU FALECIMENTO

A sociedade batalhense relembra com carinho um de seus mais ilustres representantes no dia em que completa um ano de seu falecimento.
João Fortes não deixou apenas saudade mas também um exemplo de homem empreendedor cujo maior legado foi ter participado da construção de Brasília, nossa capital.
Como empresário marcou época ao se fixar em sua terra natal sem dela nunca ter se afastado. Pelo contrário, tornou-se homem de sucesso com muito trabalho e dedicação.
Aos familiares do Seu João os nossos sinceros sentimentos de pesar e saudade.
George Machado Tabatinga, responsável pela Página

Gegé – Geraldo Pereira da Silva faleceu em sua terra natal Batalha

O filho de D. Maria Pereira da Silva e Manoel Nascimento, ambos conhecido pelo apelido de Picuá, faleceu na madrugada de segunda-feira, 26 de maio, na residência do irmão caçula Gonçalo Picuá, em Batalha.
O amigo Gegé, como era conhecido, foi mecânico dos bons em Batalha. Desde os tempos da manivela e dos caminhões sem direção hidráulica. Pra dirigir tinha que ter “tutano”, a direção era um peso danado. Eita tempo saudoso!
Geraldo foi aprendiz do saudoso Inácio Farias, logo se transformando em motorista dos bons. Naquele tempo, motorista era sinônimo de mecânico. Tinha que entender de motor, suspensão, freio e tudo o mais do veículo. Não existia oficina fácil.
Durante muito tempo trabalhou na oficina do Paulo Araújo que ficava perto do “Momento”, próximo do hoje bairro Cruzinhas. Naquele tempo se chamada todo lugar afastado do centro da cidade de ponta-da-rua. Depois da cancela fiscal, por onde passou nosso saudoso Sena Fontenele.
Gegé também trabalhou na oficina do Aurino e por conta própria. Seu amigo desde a infância Chico Gomes tem muita história para contar assim como Paulo Araújo, Zé Grigorino, meu tio Eduardo Tabatinga, Valmir Rebouças, Aurino e tantos outros amigos seus de longa data.
A família Picuá em sua primeira geração formada pelos filhos Francisco, Gegé, Salete e Gonçalo reza pela alma de Geraldo Pereira.
No último dia 14 de maio Gegé completou 74 anos de vida e teve a graça de receber o carinho de seus familiares e amigos.
Descanse em paz, Gegé! Que o Senhor lhe receba de braços abertos.
Do amigo, George Machado Tabatinga

P.S. – A foto ilustrativa registramos em 2002, na porta da oficina do Aurino.

Comentários:
Enviado por Ezequiel Miranda , Itaboraí/ RJ em 09/07/2014 às 11:47:15
Foi um bom mecãnico, papai só chamava ele quando tinha algum problema no carro.Um pessoa gente boa e de bom coração, que Deus possa consolar a família e amigos..
Enviado por Francisco Adailson de Castro em 30/05/2014 às 11:33:53
Deus nos deixou sem a presença de mais um querido filho da nossa AMADA E ADORADA BATALHA, aproveito o momento para transmitir a toda família do nosso estimado, mecânico dos bons GEGÉ meus pêsames a toda a família enlutada, na pessoa de meu amigo GONÇALO PICOÁ, rogando a DEUS TODO PODEROSO QUE RECEBEI NOS REINOS DOS CÉUS A BONDOSA ALMA DE NOSSO CONTERRÂNEO “GERALDO PEREIRA DA SILVA” GEGÉ. Votos de Francisco Adailson de Castro – Teresina-PI. Obs. Aproveito para mandar um UM FORTE ABRAÇO A TODOS OS BATALHENSES DE CORAÇÃO.!

JEJÉ – GERALDO PEREIRA DA SILVA FALECEU EM SUA TERRA NATAL BATALHA

O filho de D. Maria Pereira da Silva e Manoel Nascimento, ambos conhecido pelo apelido de Picuá, faleceu na madrugada de segunda-feira, 26 de maio, na residência do irmão caçula Gonçalo Picuá, em Batalha.
O amigo Jejé, como era conhecido, foi mecânico dos bons em Batalha. Desde os tempos da manivela e dos caminhões sem direção hidráulica. Pra dirigir tinha que ter “tutano”, a direção era um peso danado. Eita tempo saudoso!
Geraldo foi aprendiz do saudoso Inácio Farias, logo se transformando em motorista dos bons. Naquele tempo, motorista era sinônimo de mecânico. Tinha que entender de motor, suspensão, freio e tudo o mais do veículo. Não existia oficina fácil.
Durante muito tempo trabalhou na oficina do Paulo Araújo que ficava perto do “Momento”, próximo do hoje bairro Cruzinhas. Naquele tempo se chamada todo lugar afastado do centro da cidade de “ponta-da-rua”. Depois da cancela fiscal, por onde passou nosso saudoso Sena Fontenele.
Jejé também trabalhou na oficina do Aurino e por conta própria. Seu amigo desde a infância Chico Gomes tem muita história para contar assim como Paulo Araújo, Zé “Grigorino”, meu tio Eduardo Tabatinga, Valmir Rebouças, Aurino e tantos outros amigos seus de longa data.
A família Picuá em sua primeira geração formada pelos filhos Francisco, Jejé, Salete e Gonçalo reza pela alma de Geraldo Pereira.
No último dia 14 de maio Jejé completou 74 anos de vida e teve a graça de receber o carinho de seus familiares e amigos.
Descanse em paz, Jejé!
Que o Senhor lhe receba de braços abertos.
Do amigo, George Machado Tabatinga, responsável
P.S. – A foto ilustrativa registramos em 2002, na porta da oficina do Aurino.

Mestre Fabiano (Manoel da Costa Lima) – Mais um ano do seu aniversário

No dia do seu aniversário, 07 de maio, lembramos do saudoso  mestre dos mestres de nossa cultura musical. Instrumentista virtuoso, compositor de mão cheia, autodidata, religioso praticante e gente do povo.
Viveu mais de um século e só deixou de soprar seu saxofone alto quando as forças musculares lhe faltaram. Mas isso já foi bem próximo de sua morte natural.
Cuidado de perto pela filha Maúde, morreu numa casa simples, coberta de palha, na esquina famosa que hoje leva seu nome numa das ruas do cruzamento. Uma homenagem mais que merecida.
Este ano lembramos o episódio contado por ele mesmo e registrado em fita cassete, quando foi motivo de homenagem reconhecida em programa de rádio da capital Teresina. Guardo com muito carinho uma cópia que me foi cedida por seu neto e filho da Maúde, Lima Neto.
Pois bem, estava Fabiano sentado na cadeira da barbearia situada na rua atrás do quartel da polícia fazendo a barba quando o barbeiro percebeu lágrimas suaves descendo olho abaixo, discretamente.
__  O que foi que aconteceu, Fabiano ? Por acaso lhe cortei o rosto com a navalha?
__  Nada disso, Moço. É  que você não sabe o que é ouvir uma música sua assim sendo tocada pela banda da Polícia Militar do Piauí !
Naquele instante a famosa banda sob a batuta de seu genro capitão Simplício, estava executando o dobrado Torres de Melo, de sua autoria, em continência ao general Torres de Melo, ex-comandante da corporação durante o regime militar, que estava em visita à caserna estimada. Para quem não conhece a música,  basta ouvir os discos Alvorada Batalhense lançados no dia do seu aniversário, 07 de maio de 2000, o primeiro volume e, em 27 de novembro, o segundo volume, onde está devidamente gravada pela primeira vez a bela composição voltada para as tradicionais bandas de fanfarra..
Parabéns, Mestre Fabiano! Eternamente em nossos corações!
George Machado Tabatinga

Comentários:
Enviado por Soraia Tabatinga Barbosa em 09/05/2014 às 12:32:55
Realmente George, estará eternamente em nossos corações! Acho que poucas cidades, têm a honra de ter a fama e a vocação musical como nossa Batalha. Assisti uma vez a familia Lima dando um show numa Semana Santa. Temos Mestre Quíncas e sua familia, e você, com suas iniciativas pioneira de resgate desta linda estória!! Um abraço à todos da familia do Mestre Fabiano.

Matilde de Castro Machado – Missa de Sétimo Dia

A sociedade batalhense de luto rezou pela alma da professora Matilde de Castro Machado na missa de sétimo dia, celebrada pelo padre Evandro, na data de 14 de abril, na matriz de São Gonçalo.
Presentes familiares, amigos, professores, e alunos da U.E. Gayoso e Almendra, que nesse momento de dor vieram agradecer por seus relevantes serviços prestado à educação em nossa cidade, em especial na escola Gayoso & Almendra.
Nascida a 21 de outubro de 1927, a filha de Adélia Machado (D. Deloca) e Olegário Machado. Matilde era a caçula dos irmãos Eurípedes, Olegário, Osires, Eli, Teresinha e Conceição, a única viva de uma família tradicional de nossa terra.
Partiu a professora Matilde no dia 08 de abril, deixando saudades.
Aos familiares da querida professora nossos sinceros sentimentos de pesar.
George Machado Tabatinga, com a colaboração e foto de Leo Costa, do ponto de cultura Nossas Raízes.

José de Arimatea Dutra – Homenagem ao ilustre batalhense

A Página de Batalha presta homenagem ao filho de Ana da Silveira Dutra e josé de Araújo Nunes, Arimatea Dutra, falecido no último dia 09 de maio, de uma família de seis irmãos: Luis e Francisco, já falecidos, João, Socorro, Doca e Arimatea, o caçula.
Arimatea constituiu família com Maria Gonçalves Dutra, conhecida como Zilda, e juntos tiveram os seguintes filhos: Ana, Laurentina, Celina, Antônio Alberto, Antônio José, Maria do Socorro, Raimundo Nonato, Maria do Carmo e José de Arimatea Filho. São 17 netos e 6 bisneto.
José de Arimatea seguiu a profissão de seu pai, marceneiro,  que foi quem fez o mourão de sustentação dos sinos da igreja e o antigo cruzeiro do cemitério São Gonçalo. A tradição continua com seus filhos, carpinteiros como São José, o pai adotivo de Jesus.
Domingo, dia 19, estivemos visitando seus familiares e levando nossos sentimentos de pesar pela perda de pessoa tão querida do povo batalhense.
Abaixo imagem da lembrança de sétimo dia e uma foto do seu último aniversário, dia 14 de abril de 2013, quando completou 80 anos. Reproduzimos também a mensagem de sua neta Soraia, uma homenagem de família.
“Esse dia vai ficar guardado pra sempre na minha memória. Há menos de um mês atrás estávamos todos reunidos em Caraíbas, filhos, netos, parentes e amigos tão felizes comemorando o aniversário do patriarca de nossa família, tava tudo tão perfeito que mais parecia uma despedida“, de sua neta Soraia Dutra Lima.
George Machado Tabatinga, responsável pela Página

Comentários:
Enviado por Ivanice Mello em 30/05/2013 às 21:15:17
Saudades do meu querido sogro que pra mim foi como um pai, fico triste em pensar que meu filho não vai mais conviver com o mesmo, pois ele cresceu ao seu lado, amando, bricando com ele. E duro saber que não o veremos mais. Saudades eternas.
Enviado por leonardo de sales em 23/05/2013 às 12:06:45
À família estendo minhas orações. Certo de que o sr. Téa, como o chamava eu e Bidoca, receberá a recompensa pelos préstimos como um homem de bem que ocupará memória obrigatória em nossa história. Deus abençoe sua família,rezo muito pela vocação do Neto, quem sabe de sua descendência não sairá um Levita,ou seja um sacerdote? Pe. leonardo
Enviado por Deusdeth em 22/05/2013 às 21:25:01
Sr Arimateia q Deus te dê o repouso eterno,e conforto p os seus familiares c a dor da perda descançe em paz
Enviado por Leoni Quaresma de Melo em 22/05/2013 às 16:14:06
Batalha muito vai se ressentir pela falta do amigo Arimatéia Binga, amigo certo das horas incertas… Que DEUS lhe repouse na esfera de seu merecimento. Meu abraço a todos os familiares amigos.
Enviado por Ana,a filha dele mais velha conhecida por Naninha.22 05 201 em 22/05/2013 às 13:16:54
obrigada a todas as pessoas que prestarao homanagem a este grade homem.Que é meu Pai…eu nao tenho nem palavras pra falar dele, porque ele pra mim era tudo, era nao continua sendo mesmo do outro lado tudo que ele foi continua sendo no meu persamento.Aquele Paizao maravilhoso, ele era o cara. Pai ,amingo,cicerio,honerto,alegre,bricalhao com a familia e os amingo.Ele era especial pra nois e vai comtinua sendo pra Deus,a sim como ele foi pra nois…que Deus tenha ele no reino do céu !!!!Saudades naninha….
Enviado por maria Jose Melo em 22/05/2013 às 08:25:12
Desejo externar meus sentimentos de pesar pela perda do Seu Arimatéa, principalmente aos filhos, netos e bisnetos. Um abraço especial na sua filha Ana. Que Deus lhe dê muito conforto espiritual nesse momento difícil de dor e saudade.
Enviado por Raquel Fontenele em 21/05/2013 às 19:00:19
Meu vozinho Teia !!! Sem palavras pra empresar o quanto te amo!!! Toda família e amigos sofrendo a perda desse grande homem que deus levou, agora ta lá em um cantinho que estava reservado só pra ele. Batalha cidade que amo ja nem sei mas como vai ser quando eu for de ferias, pois quando eu chegava ia direto aos abraços com ele meu vozinho querido ele sentado naquela cadeira de espaguete dormindo e roncando na porta de casa!!! Sempre preocupado com que agente ia comer enquanto ele não via toda família com um prato na mão não sossegava !!! Vai ser difícil chagar dessa vez no Brasil ao encontro da família e não ter mas ele entre nós..,. VOVO VAI ESTAR SEMPRE NAS MINHAS LEBRANCAS………
Enviado por Raimundo Dutra (Bidoca) em 21/05/2013 às 14:00:10
O tio Téa agora marca presença com sua graça em um outro plano. Aqui sentiremos falta da alegria, das brincadeiras e dos risos fáceis dele. Que Deus o acolha com paz e luz.
Enviado por Ana Celia em 21/05/2013 às 12:58:49
Saudades de meu tio. Deus levou tao rapido. Inexplicavel as perdas em nossa vida. Nao queremos que as pessoas partem de nossa vida como uma luz que se apaga. Meus deus dar a meu tio um bom lugar.
Enviado por Soraia em 21/05/2013 às 12:28:57
Obrigado pela homenagem ao meu avô tão querido! Muita falta ele tá fazendo no meio de nós. Agora ele tá com Deus, tenho certeza que muito realizado por tudo. Saudades.
Arimatea-familia

Falecimento da batalhense D. Ressu Lopes

Na tarde de ontem, por volta das 16:30h, 19 de maio, faleceu em Teresina após três dias de intenso sofrimento, a viúva do finado Dico Lopes, Maria da Ressurreição Machado Lopes, aos 94 anos de idade.

O velório acontece na residência da família, na praça da Sapucaieira, e o  sepultamento será logo mais às 16h no cemitério São Gonçalo.

A todos que comparecerem a esse ato de fé cristão a família através dos filhos Carlos Roberto (in memorian), Wanda, Lenita, Irismar, Raimundo Nonato e Solange, antecipadamente agradecem,

    George Machado Tabatinga, responsável pela Página

Comentários:
Enviado por leonardo de sales em 23/05/2013 às 12:12:28
De dona Ressu, guardo na memória a sua figura ereta ao lado de seu amado esposo sr. Dico Lopes, sempre de prontidão na antiga Pharmácia do DIco, a seu sofrimento nos últimos dias vivido com heroísmo aponta para uma lição imorredoura, o sofrimento é a nossa participação no mistério de Deus! Deus acolha sua alma dona Ressu, até a eternidade! Pe. Léo
Enviado por maria Jose Melo em 22/05/2013 às 07:57:45
Desejo externar meus cumprimentos de pesares aos familiares da Dona Ressu Lopes e rogar a Deus que lhe dê o descanso eterno e que brilhe para ela a sua luz. Um abraço carinhoso em cada filho e na Dona Alice, que nesse momento sofre a perda da irmã.
Enviado por Leoni Quaresma de Melo em 21/05/2013 às 12:35:33
Mais um patrimônio Batalhense instado por DEUS! D. Ressu, sua leveza de pessoa orquestrada pela bondade, resignação, humildade e Dona de Casa exemplar fazem daquela bela pessoa o símbolo da mulher Batalhense. D. Ressu deixa muita saudade a todos, Mamãe que foi sua contemporânea , sempre externava os momentos que juntas viveram. A toda a família, principalmente aos filhos que juntos fomos partícipes de todos os bons momentos de nossa juventude, meu abraço de pesar, rogando a Deus conforto pelo TESOURO perdido.

Elza de Sampaio Machado faleceu nesta manhã em Batalha

A Página de Batalha registra com pesar o falecimento aos 95 anos de idade da batalhense Elza de Sampaio Machado, na residência de sua irmã Iolete, cercada do carinho de suas irmãs Francisca, Ivone e Iolete e de muitos familiares como a sobrinha Maria Teresa, filha da irmã Iolete, que vinha se dedicando sempre com muito carinho aos cuidados de sua tia querida como se fosse sua mãe.
No final de semana passado muitos de seus familiares estiveram em Batalha lhe fazendo uma última visita e assim a matriarca da família Sampaio Machado faleceu cercada de muito carinho.
A família enlutada convida para o velório que será na residência da família, na praça da Matriz, ao lado da Casa Paroquial, e o enterro amanhã, dia 16 de maio, às 9h da manhã.
Para os que comparecerem aos atos de fé cristã a família agradece antecipadamente.
George Machado Tabatinga, responsável pela Página
P.S. – Abaixo, fotos com familiares no dia do seu aniversário, 16 de março passado, e a outra durante a procissão de encerramento dos festejos de São Gonçalo, em 01 de janeiro de 2013.

Comentários:
Enviado por fares nogueira soares filho em 17/05/2013 às 22:23:31
grande dama uma linda mulher estara ao lado do grande senhor
Enviado por Helder Sampaio em 16/05/2013 às 21:21:03
Oportunizo a este veículo de comunicação, para externar meu profundo sentimento de tristeza pelo vazio deixado por nossa parenta Elza machado, sua trajetória de vida é exemplar, foi amiga nas horas mais difícies. Minha mãe sua prima legítima, Odisséia, quando eu nasci se encontrava em sua casa, sob a proteção de Tia Bôla de saudosa memória. Saudações.
Enviado por Antonio Francisco da Silva em 16/05/2013 às 17:22:50
Dona Elza foi uma amiga da minha mae !!!!!Quando criança a visitei muito com minha mae e na fase adulta conservei o hábito sempre que conveniente!!!!Louvo a Deus por ter conhecido ela!!!!Deus console sua família nessa hora de separaçao e dor!!
Enviado por Maria Jose melo em 16/05/2013 às 12:50:37
É lamentável a morte da Dona Elza Sampaio…. É com muito pesar que envio meus pêsames à família enlutada, rogando a Deus que lhes dê muito conforto espiritual nesse momento difícil da separação. Rogo também a Deus que dê a Dona Elza o descanso eterno e que brilhe para ela a sua Luz. Abraços em todos.
Enviado por Leoni Quaresma de Melo em 16/05/2013 às 08:49:04
Externo meu sentimento de tristeza pelo chamado à vida eterna de D. Elza Machado. Funcionária Pública Federal aposentada que com correção e zelo muito bem desempenhou suas funções. Depois de aposentada, escolheu sua Terra Natal “BATALHA” para viver com qualidade de vida juntos aos seus familiares e conterrâneos, pessoa respeitabilíssima no seio de nossa comunidade como Agente de Benfeitorias. Meu abraço de pesar a toda a família.
Enviado por Francisco Machado em 15/05/2013 às 19:00:21
Grande guerreira de voz branda mas altiva, sempre pronta para quem chegasse, minhas lembranças de infância que jamais se apagaram, que tempos maravilhosos. Agora juntinha de seus irmãos queridos que já se foram ficará ainda mais de meu querido pai. Deus nos abençoe.
Enviado por Penélope Machado Tabatinga em 15/05/2013 às 13:58:25
Minha madrinha querida, esteja com Deus. Estarás sempre próxima do coração dos que a amam. Penélope.
Enviado por OLIMPIO SOARES DA PAZ em 15/05/2013 às 13:04:19
DONA EUZA DESCANSE EM PAZ QUE DEUS LHE DER O DESCANSO ETERNO, A SENHORA FOI UM EXEMPLO DE PESSOA PARA NOSSA QUERIDA BATALHA, PEÇO A DEUS QUE VENHA SARAR ESSA FERIDA QUE E DIFICIL DE SICATRIZAR, QUE A PERDA DE UM FAMILIAR MAS DEUS AOS POUCO VAI ALIVIANDO ESSA DOR DEUS ABENCOE A TODOS. OLIMPIO SOARES DA PAZ DE PRESIDENTE PRUDENTE SP.

A morte do meu amigo Juriti (Domingos dos Santos da Silva)

Decerto ninguém nasceu pra semente, mas sim pra viver o tanto que Deus der de forma simples, plantando sementes do bem e colhendo os frutos no tempo certo.
Meu amigo Juriti, alcunha de infância, devido sua agilidade nos movimentos, talvez.
Fez parte de uma famosa turma de admissão ao ginásio sob a direção do professor Christóvam Castro Araújo. Vez por outra se pegava com seus colegas. Coisas de uma infância feliz.
Certa vez, jogando na antiga quadra do Seu Diógenes, recebeu pacada por trás e não levou pra casa o desaforo: correu e descontou no infeliz. O irmão do dito cujo, mais velho, invadiu o campo pensando que daria uma surra naquele frangalho de uns 12 anos. Que nada! Levou uma surra junto com o irmão. Juriti enquanto acertava um chute no maior, jogava um tabefe no menor. Não fosse o pessoal do “deixa-disso”, o ocorrido seria desastroso.
Naquela noite e durante todo o festejo daquele ano não se comentou outra coisa.
Depois eu conto mais sobre esse batalhense que morreu aos 55 anos, não sem antes ter deixado na Vila Kolping uma casa para sua saudosa mãe, Dona Bela (Isabel Maria da Conceição).
Meu amigo Juriti retornou da Amazônia cheio de mazelas de uma vida dura. Foi amparado por sua irmã Lúcia, seu esposo Raimundo e demais familiares.
Quando estive em Batalha em março lhe fiz uma visita, cujas fotos estão na montagem abaixo. Fiquei muito triste ao ver meu amigo naquelas condições. Mas sempre com pensamento positvo de que iria montar sua oficina em Batalha. De Fortaleza, conversamos ainda algumas vezes por telefone. Ele sempre fazendo planos, sem se deixar abater pelas complicações decorrentes dos problemas de saúde.
Na minha visita tive a oportunidade de lhe presentear um CD do Mestre Quinca. Ficou feliz e disse já ter escutado. Conversamos sobre as alvoradas …Ah! Mas isso só conto depois.
Descanse em paz, meu amigo!
Aos familiares os meus sinceros sentimentos de pesar.
George Machado Tabatinga, responsável pela Página

Ponto de Cultura Nossas Raízes – Homenagem ao Mestre Paco-paco

A Página de Batalha publica a bela homenagem do Ponto de Cultura Nossas Raízes, de 22 de dezembro de 2012, quando lhe foi prestada mais uma homenagem pelo seu trabalho há mais de 70 anos em prol da cultura batalhense.

Mestre Paco-paco
Tema Por Premium Wordpress