ÚLTIMAS NOTÍCIAS

SAUDADE

MILTINHO – CINCO ANOS DE SAUDADES

Meu caro conterrâneo e amigo Miltinho!
Parece que foi ontem, mas já se passaram cinco longos anos sem a sua presença vibrante nos festejos de nosso Glorioso São Gonçalo. Você que ainda muito jovem fez parte da banda de música acompanhando as procissões de nossos padroeiros São Gonçalo e Nossa Senhora de Lourdes deve estar assistindo de camarote as peregrinações do glorioso. Com certeza estaria à frente da aminação a cada novena com o seu talento de comunicador que o levaram ao escalão maior de sua profissão até Brasília de forma rápida e não menos empolgante.
Naquele ano você passou rapidamente como se estivesse se despedido de sua terra e não viu aqui de baixo a inauguração do relógio eletrônico no dia 22 de dezembro de 2011. Mas fique sabendo que a cada badalada que leva o som inigualável do sino de Manoel Resplende, imortalizado nas páginas do seu ensaio sobre Batalha para sempre, você está presente  pelas mãos do saudoso Canilinha e sua frenética e inimitável forma de bater as chamadas.
Se prepare que está chegando mais um festejo e já estou vendo você no alto daquele carro dos bombeiros ladeando e protegendo o Glorioso descendo a ladeira da Batalha de Cima na carreata ao encontro do Pau da Bandeira para a entrada triunfante da Procissão do Levante de mais um festejo.
Ah! Ainda bem que sonhamos sonhos bons que parecem reais. Amém!

A MORTE DO CARDEAL DOM PAULO EVARISTO ARNS

Em nota, o arcebispo Dom Odilo Scherer, da Arquidiocede de São Paulo afirmou: “Comunico, com imenso pesar, que no dia 14 de dezembro de 2016 às 11h45, o Cardeal Paulo Evaristo Arns, Arcebispo Emérito de São Paulo, entregou sua vida a Deus, depois de tê-la dedicado generosamente aos irmãos neste mundo.
Louvemos e agradeçamos ao “Altíssimo, onipotente e bom Senhor” pelos 95 anos de vida de Dom Paulo, seus 76 anos de consagração religiosa, 71 anos de sacerdócio ministerial, 50 de episcopado e 43 anos de cardinalato.
Glorifiquemos a Deus pelos dons concedidos a Dom Paulo, e que ele soube partilhar com os irmãos. Louvemos a Deus pelo testemunho de vida franciscana de Dom Paulo e pelo seu engajamento corajoso na defesa da dignidade humana e dos direitos inalienáveis de cada pessoa.
Agradeçamos a Deus por seu exemplo de Pastor zeloso do povo de Deus e por sua atenção especial aos pequenos, pobres e aflitos. Dom Paulo, agora, se alegre no céu e obtenha o fruto da sua esperança junto de Deus!
Convido todos a elevarem preces de louvor e gratidão a Deus e de sufrágio em favor do falecido Cardeal Dom Paulo Evaristo Arns. Convido também a participarem do velório e dos ritos fúnebres, que serão realizados na Catedral Metropolitana de São Paulo”.

Fonte: Portal O Globo

ADEUS AO TELEGRAFISTA “TOTE” – ANTÔNIO CARLOS DE MELO

No apagar das luzes da noite de domingo a alma do velho telegrafista batalhense Tote foi-se daqui para o outro mundo. Viveu a maior parte de sua vida  como um eremita urbano desde que separou-se da famíla há décadas.
Como profissional do código morse foi telegrafista em sua terra natal. Fez parte de uma geração inesquecível de bons profissionais. No final dos anos 50 Zé Tabatinga, aprovado em concurso federal em primeiro lugar, assumiu em Batalha por conta de sua amada filha da terra. Finados Zé Carvalho e Sinhá Melo foram seus companheiros. Francisca Machado é remanescente dessa geração com nove décadas de vida e muitas histórias a contar ainda.
O velho Correios & Telégrafos de Batalha está de luto, assim como toda nossa sociedade, pela perda do filho ilustre do saudoso casal Avelina e Chico Melo.
Fazemos questão de registrar os agradecimentos ao casal Isabel e Chico Pretinho pelo zelo e cuidados para com o velho Tote durante muitos anos de sua vida.
Descanse em paz e que Deus lhe receba de braços abertos. Amém!

ADEUS SATURNINO – O BATALHENSE ESTÁ DE LUTO

Depois de alguns anos lutando contra a doença. E nesse período hora se afastava da banda, mas voltava sempre que melhorava aos toques; principalmente nos festejos. Só não conseguia acompanhar procissões e as visitas às residências de batalhenses para um café da manhã oferecido aos músicos.
Saturnino foi casado com uma irmã do saudoso mestre Quinca, como se não bastasse o companheirismo por toda uma vida ao lado dos grandes mestre de nossa cultura musical.
A Página de Batalha enlutada lhe faz esta simples homenagem. E para nossos leitores comunicamos que breve divulgaremos alguns vídeos do saudoso músico e amigo Saturnino.
Adeus Saturnino!
Agora está completa a Banda Batalhense dos Mestres da Época de Ouro da Música lá no Céu!
Vejam esta publicação Levante da Bandeira de 2006: AQUI

NONATO FABIANO – ADEUS AOS 95 ANOS DE VIDA

A Página de Batalha enlutada registra o falecimento de Raimundo Nonato Lima, hoje, dia 06 de abril, aos 96 anos incompletos. Ele que nascera em 08 de janeiro de 1921.
Nonato Fabiano, carinhosamente chamado de “Meu Copinha”, era figura carismática batalhense.
Fez parte da época de ouro de nossa banda de música onde tocou clarinete e, finalmente, saxofone soprano. Talvez o único tocador de sax soprano até hoje em nossa banda
Ao longo de sua vida foi comerciante. Primeiramente, no mercado público de Batalha onde hoje negocia o amigo “Grosso”. Uma esquina de muitas lembranças. Depois lembro que sua quitanda mudou-se para o prédio do finado Sansão, próximo onde hoje é a Secretária de Saúde.
Estamos preparando uma crônica especial sobre a vida desse batalhense que deixa uma lacuna de saudade pela sua simplicidade e alegria de viver.
Descanse em paz, Meu Copinha!
Foto: Enviada pelo sobrinho Bel Lima

MILTINHO – QUATRO ANOS DE SAUDADE

A Página de Batalha relembra com muito pesar do batalhense Milton Martins Vasconcelos Filho, nosso Miltinho, falecido há quatro anos num fatídico sábado, 17 de dezembro de 2011, na cidade paulista de Campinas.
Em  primeiro de novembro, dia do retorno da imagem de São Gonçalo, como poderia esquecer de você, Miltinho? Enquanto nosso Santo Glorioso chegava na matriz eu lembrei de você, de como teria sido empolgante como cerimonialista daquele momento. Mas você assistiu tudo bem pertinho do Glorioso e intercedendo por seu povo, certo?  Esse mesmo povo sofrido e sem perspectivas de melhoria diante do repetitivo quadro político instalado.

Este ano Miltinho, estarei lançando meu ensaio literário contando pra nosso povo a história de São Gonçalo. Não sem consultar  seu pioneiro ensaio sobre nossa terra, intitulado Terra de São Gonçalo, de 1997, cujo exemplar autografado guardo com carinho especial. Sua dedicatória “Ao amigo George Machado Tabatinga, grande entusiasta das causas batalhenses, com abraço do Milton Filho”, me dá forças para continuar defendendo nossas tradições.

No dia 12 de dezembro, na casa de minha tia Iolete, presidente do Apostolado, lancei um disco com músicas religiosas dedicado à nossa secular congregação. Foi um fim de tarde emocionante com mais de quarenta representantes. Um desejo meu antigo e que me deixou muito feliz poder concretizá-lo.

Também este ano, sua geração quase perdida de músicos como Lima Neto, Francisco Antônio, Vadim e Papagaio estão tendo  oportunidade de continuar seus estudos com a chegada de um maestro através da Secretaria de Ação Social da prefeitura.  Já se pode notar a melhoria da banda com novo repertório. Mas continua o mesmo quadro de décadas: falta de comprometimento do poder público municipal para com eles. Afinal de contas, música não enche barriga, mas enche os corações de barriga cheia de muita gente! Nosso querido Saturnino, já octogenário, passa dificuldades assim como muitos dos músicos como o Antônio do Quinca, um saxofonista que impunha respeito na década de setenta e hoje encontra-se desiludido com a música.

Desculpe o desabafo, amigo! Mas não se preocupe, que por aqui vou segurando essa bandeira que você tanto defendeu.

Descanse em Paz!

 

DONA ROSA RIBEIRO ALVES – UM ANO DO SEU FALECIMENTO

A família Alves convida todos para a missa de um ano da morte da matriarca D. Rosa às 07h de hoje na igreja Matriz de São Gonçalo.

Antecipadamente, a família agradece pela presença dos parentes e amigos nesse ato de fé cristã.
A todos seus familiares, em especial à professora Rosa e ao professor e músico Francisco Antônio os meus mais sinceros sentimentos de pesar.
George Machado Tabatinga

A MORTE DO CERIMONIALISTA CLEITON AMARAL

O batalhense Cleiton Amaral Rodrigues, historiador, professor universitário e cerimonialista faleceu na noite do dia 04 de setembro, vítima de acidente automobilístico na BR-222 entre Teresina e Piripiri, onde deveria dar aula na universidade local.
O filho de Zequinha da Santa Rita e irmão do vereador Clayson Amaral, que no mês de dezembro de 2010 lançou seu livro Estação longá no auditório da Câmara Municipal de Batalha, deixa a sociedade batalhense enlutada.
A Página de Batalha estava presente naquela solenidade e publicou matéria completa desse jovem historiador batalhense.
Aos familiares os nosso sinceros sentimentos de pesar pela dolorosa e irreparável perda.
P.S. – A foto ilustrativa foi clicada durante o lançamento do livro em 2010.

  Veja a publicação de 2010 – http://paginadebatalha.com.br/?p=2245

ANTÔNIO ODÍLIO – DESCANSE EM PAZ !

O dia 17 de agosto de 2015 ficará marcado na família Lopes da Silva com o falecimento de seu matriarca, Antônio Lopes da Silva, conhecido como Antônio Otílio.
Depois de sentir fortes dores abdominais, faleceu em Batalha por volta das 16:30hs. A família supõe que tenha sido pelos efeitos colaterais de uma picada de cobra cascavel em abril. Mesmo medicado, fica a pergunta se poderia causa sua morte depois de alguns meses.
Pai de 13 filhos e viúvo de D. Maria Eugênia, Seu Otílio deixa a família consternada com a dor de sua partida.
Aos seus familiares nossos sentimentos de pesar.

JONAS CASSIANO – DESCANSE EM PAZ !

Ao final da tarde do dia 17 de agosto, em sua residência no bairro Vila Kolping, faleceu o amiga Jonas Cassiano há poucos dias de completar 97 anos de vida. Ele que foi vaqueiro e morador de meu avô cap. Amaro José Machado, na localidade Pereira, à beira do rio Longá, durante várias décadas.
Conversamos há pouco com sua filha Francisca que nos informou que após três semanas sentindo-se fraco, foi medicado no hospital mas pediu para que lhe levassem pra casa. Dizem os mais velhos que muitos têm a graça de perceber que sua hora derradeira está chegando. Lembro que D. Maria Sena pouco antes de faleceu pediu nosso Senhor pra lhe levar. É preciso muita fé e acreditar que a vida aqui na terra é passageira. Que a vida eterna nos espera.
Seu Jonas é querido de nossa família. Mesmo debilitado, costumava assistir muitas novenas na porta da casa onde por longos anos apeou sua montaria e os burros cheios de colheita no alpendre ao lado da casa. Ainda alcancei esses momentos com minha avó Bôla viúva recebendo a partilha. Corria pras laranjas grandes e suculentas que jamais esqueçi.
Aos familiares do amigo Jonas Cassiano, nossos sentimentos de pesar eternamente.

P.S. – A foto ilustrativa foi clicada numa noite do festejo de dezembro de 2014, na porta da Casa da Vovó, como chamamos.

Tema Por Premium Wordpress