ÚLTIMAS NOTÍCIAS

CRÔNICAS ANTERIORES

A morte do meu amigo Juriti (Domingos dos Santos da Silva)

Decerto ninguém nasceu pra semente, mas sim pra viver o tanto que Deus der de forma simples, plantando sementes do bem e colhendo os frutos no tempo certo.
Meu amigo Juriti, alcunha de infância, devido sua agilidade nos movimentos, talvez.
Fez parte de uma famosa turma de admissão ao ginásio sob a direção do professor Christóvam Castro Araújo. Vez por outra se pegava com seus colegas. Coisas de uma infância feliz.
Certa vez, jogando na antiga quadra do Seu Diógenes, recebeu pacada por trás e não levou pra casa o desaforo: correu e descontou no infeliz. O irmão do dito cujo, mais velho, invadiu o campo pensando que daria uma surra naquele frangalho de uns 12 anos. Que nada! Levou uma surra junto com o irmão. Juriti enquanto acertava um chute no maior, jogava um tabefe no menor. Não fosse o pessoal do “deixa-disso”, o ocorrido seria desastroso.
Naquela noite e durante todo o festejo daquele ano não se comentou outra coisa.
Depois eu conto mais sobre esse batalhense que morreu aos 55 anos, não sem antes ter deixado na Vila Kolping uma casa para sua saudosa mãe, Dona Bela (Isabel Maria da Conceição).
Meu amigo Juriti retornou da Amazônia cheio de mazelas de uma vida dura. Foi amparado por sua irmã Lúcia, seu esposo Raimundo e demais familiares.
Quando estive em Batalha em março lhe fiz uma visita, cujas fotos estão na montagem abaixo. Fiquei muito triste ao ver meu amigo naquelas condições. Mas sempre com pensamento positvo de que iria montar sua oficina em Batalha. De Fortaleza, conversamos ainda algumas vezes por telefone. Ele sempre fazendo planos, sem se deixar abater pelas complicações decorrentes dos problemas de saúde.
Na minha visita tive a oportunidade de lhe presentear um CD do Mestre Quinca. Ficou feliz e disse já ter escutado. Conversamos sobre as alvoradas …Ah! Mas isso só conto depois.
Descanse em paz, meu amigo!
Aos familiares os meus sinceros sentimentos de pesar.
George Machado Tabatinga, responsável pela Página

Ponto de Cultura Nossas Raízes – Homenagem ao Mestre Paco-paco

A Página de Batalha publica a bela homenagem do Ponto de Cultura Nossas Raízes, de 22 de dezembro de 2012, quando lhe foi prestada mais uma homenagem pelo seu trabalho há mais de 70 anos em prol da cultura batalhense.

Mestre Paco-paco

Saudades do Mestre Joaquim Cícero da Costa

O dia primeiro de abril e o dia sete de maio, são para a história cultural de Batalha duas datas inesquecíveis: aniversário de nascimento dos mestres Quinca e Fabiano, respectivamente.
Se estivesse em Batalha hoje teria ido bem cedinho ao cemitério com meu clarinete pra tocar a valsa Maria de Nazaré e o hino a Nossa Senhora de Lourdes. Páginas inesquecíveis do nosso cancioneiro, composições suas, mestre Joaquim Cícero.
Ainda não caiu a ficha, mestre! Para mim você continua bem vivo na lembrança, nas minhas orações diárias e por toda minha vida.
No dia 15 de dezembro, como parte das comemorações do Dia da Emancipação Política de Batalha, com o auditório da Câmara lotado, graças ao empenho da presidente vereadora Patrícia Vasconcelos e do Ponto de Cultura Nossas Raízes, sob comando da professora Socorro Silva e do seu neto Lucélio Costa, parte de sua família e a sociedade batalhense alí representada por pessoas simples em sua maioria presenciaram um belo momento cultural e artístico com o lançamento do CD As 10 Mais Sapecas do Mestre, com músicas suas. Assim, encerramos o ano de 2012 no calor de suas canções em belos arranjos do músico cearense Alves Nascimento.
Veio o festejo e uma banca foi montada na barraca da paróquia para que sua obra pudesse ser adquirida por aqueles que não participaram do lançamento. Mais uma vez a associação Nossas Raízes esteve à frente divulgando o disco e algumas camisetas com sua foto estampada. O festejo foi avançando e apenas dois exemplares foram vendidos. Enquanto isso, o que se ouvia nos “pancadões” instalados nos carros espalhados pelas praças era uma barulheira sem fim, um gosto musical duvidoso e  letras de duplo sentido ou sentido vulgar. Um ruido ensurdecedor e um descaso total para com nossa cultura.
Mas a nossa banda de música continuou a tocar nas procissões, alvoradas e animando os leilões. Agora também um café da manhã todos os dias na casa de um paroquiano após a primeira alvorada. Mais uma ideia do Padre Evandro que veio pra ficar.
E assim a luta continua. Temos prefeito interino mas nada ainda foi feito no sentido de reorganizar a banda e implantar uma escola de música em nossa terra.
Fico a imaginar como está animado o dia de hoje por aí: Fabiano, Zé Dilino, Pantim, Tirira, Zé Sará, Canilinha, Zé Lobim, Gonçalo, Pantico, Batistinha, Cosme, Calado, Fausto, Aloísio, Eliomar, Satilo, Chico Bobô, Cristino … e tanta gente a festejar seu aniversário!
Feliz Aniversário, meu amigo!
George Machado Tabatinga, responsável pela Página

Joaquim Cícero da Costa – Sétimo dia do seu falecimento

Batalha ainda chora a perda de um de seus filhos ilustres, o nosso querido Mestre Quinca.
Aos familiares do saudoso mestres os sinceros sentimentos de pesar de todo batalhense.
George Machado Tabatinga, responsável pela Página

 Comentários:

Enviado por Francisco das Chagas Ferreira Gomes em 20/07/2012 às 13:47:54
È com grande pesar que vejo esta noticia do falecimento do Mestre Quincas. Que Deus o receba em sua Glória e que dê muita força para sua familia suportar esta dor. Um grande abraço em seus Familiares, em especial para minha amiga Lucia, nazaré e Lucilene. Francisco das Chagas – Manaus Am

Mestres Fabiano, Pantim e Quincas se encontram no céu

– Vixe, você veio mais cedo do que eu esperava! – arregala os olhos Mestre Fabiano, surpreso com a chegada do Mestre Quincas.
– Eu não queria alarde – explica Quincas com seu jeito ponderado, o olhar macio. – Preferi sair de fininho nessa época de férias de julho, quando as pessoas estão entretidas com suas viagens de férias e a meninada está em casa.
– Fez bem, Quincas – concorda Pantim. – Se a gente tivesse hora certa para morrer, enterro viraria recepção. Imagina quantos convites você teria que expedir?
– Achei que iria esperar o festejo do Glorioso deste ano, tocar alvorada no patamar da matriz, alegrar os leilões e acompanhar a procissão sinto falta disso, aqui! Exclamou mestre Fabiano, com o sorriso se expandindo pelo canto dos lábios, num misto de alegria e ironia.
– Que nada, responde Mestre Quincas, festa mesmo é aqui, lá é só um ensaio pelo que vejo, da festa que vocês fazem aqui no céu, tem algum saxofone por aqui?
– Bem vindo amigo Quincas, toma este saxofone aqui, respondeu Pantim, com braços abertos em copa, num gesto de acolhida – vamos tocar uns dobrados e muitas valsas, começando por Maria de Nazaré, em homenagem à sua amada, que se junta a nós na sua chegada, pontificou o Mestre Pantim, com ar de que a saudade chegara ao fim.
E começou a alvorada no céu, marcando a chegada triunfal do Mestre Quincas à eternidade!Pois a música vai além da partitura, do compasso, das cinco linhas da pauta, a música é a interpretação que repousa às veze sem meio segundo a mais ou a menos.
Todas as pessoas – e o que surpreende é a unanimidade – referem-se ao Mestre Quincas com enorme respeito e gratidão.
Observo um desejo desenfreado de tantas celebridades de se eternizarem gravando seus nomes em placas comemorativas, em homenagens ou até mesmo em uma calçada, como a da fama, em Hollywood, onde são inúmeros os exemplos cômicos deste empenho. Mas Joaquim Cícero da Costa, apesar do reconhecimento que lhe é tributado, optou por gravar seu nome no coração das pessoas. E o fez de modo imperativo em diversos profissionais – desde muito cedo, aonde veio exercendo importante papel na formação de jovens músicos batalhenses – que devem a ele o conhecimento que possuem.
Mestre Quincas com seu jeito simples de ser artista nos revelou que ser músico é ser um artista da vida construindo emoções, pois, os músicos são aqueles que sem querer penetram em todos os corações, pois a música chega lá onde a palavra não consegue penetrar!
Nossas alvoradas não serão mais as mesmas sem a presença do Mestre Quincas, os dobrados que saiam de sua música deixaram saudades, suas valsas que nos tocavam a alma serão executadas agora na eternidade.
Como serão os leilões dos festejos de agosto e os de dezembro sem o nosso Mestre? E as madrugadas no cimo da colina sagrada de nossa matriz à espera do primeiro toque de nossa banda municipal comandada por ele? Já não temos mais “Os brasas Seis”, composto na sua maioria pelos seus filhos e netos, sua partida Mestre fecha o circulo dos grandes compositores de nossa terra.
Ah Mestre, que saudades sentiremos de seus dedos sobre o prateado de seu instrumento, soprando com pulmões cheios, as notas musicais eternizadas do Hino de São Gonçalo! E agora então que já se aproxima o mês de agosto, quem como o senhor executará tão brilhantemente a valsa Nossa Senhora de Lourdes?
Se a obra é imortal, o artista não, já afirmou acertadamente alguém.
É realmente uma pena. Aos poucos, infelizmente, nossa música vai perdendo o que tinha de melhor, às custas da ganância de alguns desclassificados que enfiam goela abaixo da moçada os gêneros importados. No nordeste, onde imperava o forró pé-de-serra, vejo com pesar a invasão do sertanojo, da pior qualidade. Pouco se ouve ainda forró dos bons, e música de boa qualidade então, há gerações que nem sabem o que é isto.
Do Mestre Quincas fica uma herança musical maravilhosa, repleta de belas melodias capazes de tocar o coração e comover a alma, tanto pela beleza das notas quanto pelas melodias impressionantemente marcantes, além do carisma e da simpatia que lhes foram marca registrada em seus vários anos de trabalho na banda musical e ensinando gerações de novos músicos.
Despedimos-nos sexta-feira 13 do Mestre Quincas, um baluarte de nossa cultura, na certeza de que este músico excepcional vai ser para sempre um nome a ser lembrado todas as vezes que alguém perguntar sobre os grandes nomes do gênero em nossa terra de São Gonçalo.
Adeus, Joaquim Cícero da Costa, e obrigado por nos brindar com momentos emocionantes e inesquecíveis de sua música!
Obrigado pela sua passagem por este mundo, pelos seus 87 anos de convívio, obrigado por perpetuar o seu sangue em dons musicais, transmitidos sanguineamente a seus filhos, agora continuadores de seu legado.
Obrigado por ter alegrado a muitos tristes com a sua música, a ter ajudado a ensaiar passos de dança, pelos salões de festa espalhados por esta terra da ametista consolando os corações que se remetem à nostalgia ao ouvir suas melodias, obrigado pelo espetáculo que foi a sua humildade aliada ao seu jeito simples e pelo testemunho de sua fé!
Vamos lá, Mestre tão admirado por nós e amado por Deus, a quem por amor varava a noite e o esperava, qual o amado à sua amada, nas madrugadas para saudá-lo com valsas e dobrados vibrantes. Essa prontidão de nosso Mestre me faz lembrar o salmista no salmo 62: “Sois vós, ó Senhor, o meu Deus! Desde a aurora ansioso vos busco! A minh’alma tem sede de vós, minha carne também vos deseja.”
É verdade que a obra é imortal, o artista não. Perdemos o autor, ficamos com a obra. Agora resta-nos preservá-la e divulgá-la.
Resta-nos o consolo de saber que a sua obra Mestre o manterá vivo entre nós e entre as gerações vindouras. E a certeza, na fé, de que, quando a gente nasce, todos riem e a gente chora. Quando transvivencia, todos choram e a gente ri.
Mestre a morte venceu os seus pulmões silenciando-os para sempre, não o veremos mais soprando o seu saxofone, mas ela não conseguirá cegar os nossos olhos, que teimosamente continuaram a vê-lo, qual um militar na prontidão, e um gênio na composição, um ator na interpretação, e um fiel na contemplação de Deus; nós o veremos sempre com os olhos da fé no alto do patamar da igreja matriz com arte a sustentar a alvorada, ensaiando a nossa eternidade!
Nós nesta terra de papagaios, vamos sentir muito a falta de quem desperdiçava palavras e esbanjava melodia.
Termino com seu lema de vida: Vamos lá e até lá!Lá você já está, e para lá nos iremos também, nos aguarde com muita música!
Pe. Leonardo de Sales.

 Comentários:
Enviado por Francisco das Chagas Ferreira Gomes em 20/07/2012 às 14:00:46
É Batalha! hoje vc com certeza não é mais a mesma sem o Mesrte Quincas! Em compensação o Céu está de parabéns, o time está mais completo. Os anjos agradecem os mestres batalhences que agora estão juntos e para sempre. Eles agora fazem parte do coral celeste. Francisco das Chagas – Manaus Am.

Enviado por Socorro Silva em 16/07/2012 às 14:54:09
Perdemos relmente um grande Mesre,ficaremos com sua música, exemplo e com a alegria e suavidade de suas melodias, valeu Mestre Quinca!!!! Parabens Padre Leonardo ,sabe tocar a alma e o coração com seus ricos e verdadeiros textos.

Joaquim Cícero da Costa – Descanse em Paz!

A sexta-feira 13 de julho de 2012 terminou tristemente para nós batalhenses. O adeus a Joaquim Cícero da Costa foi emocinante e o nosso fotógrafo e colaborador Leonardo Costa acompanhou tudo de perto e registrou para vocês internautas.
O grupo de flautas Nossas Raízes tocou o Hino de Batalha. A banda de música, agora sob a batuta de Lima Neto que assume o comando com uma responsabilidade a mais que é substituir nosso querido Mestre Quinca e seu avô Fabiano, o maior de todos, tocou as valsas Maria de Nazaré, Nossa Senhora de Lourdes e Professor Christóvam. Todas do saudoso mestre. Tocaram ainda o famoso dobrado Saudade de Minha Terra, de compositor paraense ainda do final do século XIX. Esse dobrado era o preferido do Mestre Fabiano o qual foi executado em sua despedida. Um pedido revelado em gravação dos anos 90 feita por Lucimar Rocha num dia de aniversário do mestre. O nosso Bel Lima teve a responsabilidade de cantar e executar em sua sanfona branca o clássico Boiadeiro de Luiz Gonzaga, Klécius Caldas e Armando Cavalcanti. E os familiares e demais presentes ficaram emocionados. O prefeito Amaro Melo e os vereadores Augusto César, Nenem e Zé Filho também estiveram prestando condolências à família.
O cortejo fúnebre ao chegar em frente à Matriz de São Gonçalo subiu as escadas e encheu a igreja. Padre Evandro comoveu a todos com suas preces e a benção final diante daquele que durante muitas décadas foi fiel fervoroso e cativo da igreja católica de Batalha.
Já era noite quando o enterro foi consumado. Sob a lousa tumular novamente se encontraram os corpos de um casal que viveu mais de cinco décadas de uma união exemplar e agora unidos para sempre.
Meu amigo, assim como de você recebi um samba dedicado, debaixo de muita emoção consegui compor uma valsa pra você. É claro que não se compara às suas, mas nela coloquei todo meu sentimento de gratidão e admiração. Vou tocá-la sempre e de coração.
Deixo aqui uma reflexão: o que virá daqui pra frente em nossa cultura?
Me atrevo a dizer, olhando a foto desses garotos flautistas perfilados ao lado do seu corpo sob o comando de seu neto Lucélio e a dedicada Socorro Silva, que eles representam a esperança de que fecunde a semente viva do seu exemplo. Ao Lima Neto, Vagner, Louro, Papagaio, Otávio Neto, Marcelo, Vadim e demais integrantes da banda de música a responsabilidade de manter essa banda tão desamparada e abandonada pelos que recebem através do voto a responsabilidade de implementar políticas públicas de apoio à cultura e a arte em nossa terra.
Descanse em paz, meu amigo!
George Machado Tabatinga

 Comentários:
Enviado por ANTONIO VALDERI DASIVA ( VALDERI) em 17/07/2012 às 18:18:36
MUITAS SAUDADES DO MESTRE! VAMOS PRA O PROXIMO FESTEJU COM UMA GRANDE FALTA, MAIS A VIDA E ESSA PRA SER VIVIDA E ELE VIVEU A DELE. UM FORTE ABRASSO PARA TODA A FAMILHA.

Enviado por dede vaqueada em 15/07/2012 às 14:33:42
Mestre Quinca nos deixa muita Saudades nas alvoradas nos levantes dos mastros,nos leilões.Um grande homem que amava fazer o que gostava e ensinou muito com sua sabedoria. facebook.com/dedevaquejada

Ponto de Cultura Nossas Raízes homenageia Mestre Quinca

Nós batalhenses hoje recebemos com muito persar a noticia do falecimento de Joaquim Cícero da Costa (Mestre Quincas)! Mestre da Banda de música, da cultura, da simplicidade, mestre da vida!
Dizer adeus a um mestre não é fácil, mais ouviremos sempre o toque suave de tua melodia, através da a voz da pororoca, do hino de São Gonçalo, das procissões, dos festejos, dos momentos importantes em nossa cidade de Batalha.
Como será nosso levante do mastro, os leilões de São Gonçalo, a procissão de são Francisco, a nossa Alvorada durante o festejo e os demais momentos importantes de nossa cidade sem tua presença, sem tua melodia?
Há…mestre, estamos chorando mas temos certeza que tua melodia, tua música, irão permanecer entre nós pois está gravada no coração de todos os batalhenses.
Tua arte permanecerá viva através dos teus filhos, netos, bisnetos e outros que tiveram o privilégio de tê-lo como mestre. Estamos tristes saudosos, mas somos gratos pela dádiva de tua presença em nosso meio.
Adeus Mestre Quincas que São Gonçalo te receba com a mesma alegria que você tinha quando participava da festa deste padroeiro tão querido por todos nós.
Homenagem do Ponto de Cultura “Nossas Raízes”
Batalha-PI, 13 de julho de 2012.

 Comentários:
Enviado por LEO COSTA em 14/07/2012 às 08:24:51
Foi um bom te-lo entre nós todos esses anos…adeus mestre Quinca.
Enviado por Antonio Francisco em 13/07/2012 às 22:14:50
Era um ser de uma conduta impoluta!!!SEmpre o via vestido de uma simplicidade e ternura nas ruas de nossa amada Batalha!!!Aqui expresso um sentimento de tristeza mas também de gratidao a Deus por ter conhecido o Mestre Quincas que era da mesma arvore genealóliga da minha amadíssima mae Manena!!!Deus console sua família!!
Enviado por Milonga de Moraes Costa/Campinas Sp em 13/07/2012 às 21:16:21
À vida transferiu de Batalha para um lugar mais lindo: –O nosso grande Maéstro Juaquim Costa,carinhosamente conheçido e chamado por todos de mestre quinca. Estou muito triste porque quando chegar em Batalha,nao vou encontra-lo. Mestre quinca sempre foi bom amigo de todos de nós. Lamento a perda do mesmo,e peço ao grande Deus do Céu que reserve um bom,e maravilhoso lugar ao lado do Pai Celestial. Meus Pêsames a todos….

Enviado por urubudacachoeira@gmail.com em 13/07/2012 às 19:04:35
Mestre Quincas, jeito sutil de sua simplicidade, porém, potencialmente honorífico pelo que sempre desempenhou na cultura de Batalha. Batalha, com certeza, foi o seu dia a dia. Imagino, portanto, sua condição de homem afoito a simplicidade, simplicidade esta que demonstrava na preocupação de repassar seus ofícios aos seus irmãos, preocupado, evidentemente, no agasalhar o sustento desta população como bem exemplificado por Dj. Tanque. Assim, é, de certo, aqueles que são forjados no cadim da cultura popular, que se veem responsáveis, de alguma forma, pelos seus irmãos. Êle é um desses homens que fez da sua profissão o labor, extraindo dela e, com dignidade, o sustento de sua família. Não teve benesses do poder público, não o conheci pessoalmente, mas tive o privilégio da audição do sopro inconfundível do seu instrumento nos leilões de Dezembro. E, se tivesse tido a oferta da benesse do poder público, com certeza, teria sido rejeitado, isto porque a sua moral era, pelo que sei, inabalável. Restam poucos contemporâneos da sua nobre geração, podemos contar nos dedos, senão vejamos: João Fortes, José Romão, quem mais… Escrever de homens de espírito nobre é muito fácil, poderia seguir por várias variantes ou variáveis de sua vida e mesmo assim, só encontraria exemplos de pura nobreza. Desejo, portanto, à família enlutada pelo desaparecimento do mundo físico deste grande Batalhense, os votos da mais alta estima, consideração e condolências.

Contextualidade Política Batalhense – Crônica do professor Cunha e Barros

A sapiência conhecedora das atuações políticas em Batalha e suas diversidades articulatórias fizeram com que eu tomasse uma decisão de envergadura para o crescimento do meu ser e o aprimoramento cultural para a saída do adormecimento de um cidadão que em toda a sua trajetória de luta viu o seu protagonismo ser usado de formas numericamente adversas ao protagonizado por mim juntamente com pessoas que na obscuridade não deram a mínima para o traçado firme postulado em meio ao anseio popular. Senão vejamos: Quem não se lembra do movimento estudantil, forte, firme, discutidor e lutador mesma em pleno regime militar pelos direitos, não só dos estudantes, mas também pelos ditames da busca por melhores dias para os cidadãos de Batalha, pois já naquela época enviamos um jornalzinho elaborado com chamex e estênceis á diversos setores do país em forma de cobrança por melhorias para a comunidade, hoje quem? Colhe estes frutos?Claro que a comunidade teve o seu valorado por estas ações, mas volto à interrogação, quem é na obscuridade, os detentores de outros frutos?Adiante fui também o primeiro radialista em Batalha, que conseguiu fazer um programa jornalístico de mais de uma hora, colocando o povo pra falar e reivindicar seus direitos pelo rádio, onde estas falas eram sobre situações e cobranças de ações políticas em Batalha. Hoje quem, mais uma vez é protagonizado?Fiz o maior amparo político social, objetivado pelo sindicato dos trabalhadores e trabalhadoras de Batalha, alavancando um modelo arcaico e o colando na mídia como á solução daquele momento lembram?Quem hoje é protagonizado por este movimento? Prestes ao desmoronamento, pois os anseios de suas proposituras, hoje são adversos ao anseio de seus associados e comunidade em geral. Quem, hoje protagoniza e quem foi deixado de lado?Bom sempre foi meu imbuimento tecer uma diversidade de falações pelas proposituras cidadã, muito embora nunca tivesse tido o verdadeiro reconhecimento, pelos políticos de minha terra, digo minha terra, não sendo eu filho de Batalha, fui agraciado por ter, pai e mãe filhos desta. Nunca tive pretensões políticas, apesar de ter tentado como todos nós tentamos sempre, nos diversos apoios que objetivamos ao longo de nossa história em Batalha. Nos mais de vinte anos defendendo sempre um grupo político, nunca tive o verdadeiro merecimento condutório para o agrupamento de soluções de vida. Vez e outra são também induzidos na votação de governadores, deputados estadual e federal, senadores, presidentes de associações, sindicatos e presidente da república. Quem hoje é agraciado com este bolo?Ora o vivenciamento político nos faz, analisar muitas coisas em uma propositura de melhoria de vida, tanto para nós como para os nossos, muito embora muitas vezes não tenhamos o esperado, neste tempo todo de ajudamento e engrossamento de muitas fileiras político partidárias em Batalha, fiz do meu relevante serviço prestado ao hoje considerado por mim, meu município!Um dos melhores aceites políticos evidenciado por uma pessoa, que diante do reconhecimento á mim como “amigo”, fez o equalizamento de novos feixes luminosos ao pai de família, que com esta atitude mostra o embasamento político ao tempo de reconhecer os destonteamentos,feitos tanto na grossura de cangote de uns,como no apagamento deturpado de outros em não terem a hombridade de reconhecer ,quando no adquirimento do poder a verdadeira promessa do agradecimento. Aqui quando estamos de um lado é pra o permaneci- mento neste lado, mesmo que aqueles que nada fazem para o anseio do político, seja ele o endeusado e o que faz algo e fica na frente da fileira, não seja agraciado deve, estar sempre na defensiva ou melhor na ponta do fuzil. Pois os agraciados devem e são sempre os que alfinetam a conduta dos outros e com sua maestria emprenha o político pelo ouvido, dando-se ai o nascimento mais desesperador que é a perda do filho, que sem o leite materno não sobrevive pois, tal empenhamento não é uma postura divina. Por tantas razões outras aqui agradeço ao também reconhecimento do Página de Batalha, que faz do meu angariamento de pretensão futura uma salvaguarda na condução de escrita do meu livro, que terá sempre fatos relatados, como os meus mais de dez anos de escuridão vivenciados e aplaudidos por muitos os quais sempre, querem ver pessoas como eu voltar ao lamaçal. Deus sempre esteve do meu lado e colocou na minha projeção, inúmeros meios de sobreviver em meio ao trato que tive ao longo do tempo ao ponto de quando davam-me o desprezo, Deus colocava e coloca maneiras firmes de conduzimento e avivamento para novas aberturas, esta é uma delas os que batem em mim com suas línguas maléficas ficam sempre com a garganta cheia de poeira pois não trazem consigo o firmamento de Deus. E Deus não dá o filtramento ao postula- mento de uma abertura como o Página de Batalha, sempre deu a este nobre cidadão que vos escreve, a envergadura cultural deste ser faz das línguas maléficas e o achar de Muitos, Um Minúsculo poeirio, só para ficar de lembrança, o bem sempre vence o mal. Portanto o aparecimento de comentários diversos em período de eleição em Batalha deve acabar. Como todo cidadão deve ter seu posicionamento e objetivação, nós como eleitores devemos ter e fazer a nossa escolha pois o destino nos relata em suas andanças que a projeção de novas contextualizações não darão mais vez e nem voz aos postulantes de intrigas e sabedoria edificada ao longo de nossas vidas no conduzi mento educacional de nossos filhos firmemente nos trarão melhores tempos, pois são eles que firmemente formatarão a modificação pois suas visões mais aguçadas que as nossas não aceitarão direcionamentos e postulações arrematadoras no caimento do nosso município, por isso veremos que os tempos serão outros e o hoje será marcado apenas por nossas escrituras para alavancar de um novo amanhã.
Hoje ao olharmos uma enorme modificação da humanidade, com o filtro em diversos acontecimentos nos espantamos com as suas variações criminosas, onde um aglomerado destes, podemos aqui destacar, crimes diversos, atrocidades mil e enveredamento de crianças e jovens no submundo das drogas, isto nos causaria um desconforto ainda maior, não fosse o já constatado aparecimento de crianças iluminadas, mundo afora, em proporção ainda pequena, mas já modificadora para um seguimento inovador, senão vejamos as crianças hoje mostram um diferencial a ser seguido por nós desde o seu nascimento, onde muitas vezes somos pegos dizendo e afirmando, logo no primeiro contato com elas, que ser maravilhoso! Este deve merecer um mundo melhor, pois o vivenciado de agora é horrendo! É ou não uma aceitação de que elas serão logo de cara uma luminosidade a ser seguida, conduzindo nossas atenções ao não aceite das barbáries cometidas aos seres humanos tão precisa dores de novos rumos. Rumo ao novo afloramento da humanidade, esta observância deverá ser agora mais discutida em sua totalização, pois é, o referencial luminoso de uma contextualidade formatada para a amplitude e preparo humano rumo ao fortalecimento do amanhã. Só quando avivarmos nossas mentes aos fatos das modificações na humanidade realizadas com o ponto de que elas são o fator de mudanças que faltava. Isto nos faz focar neste artigo o igual ou indiferente ao real destes novos preceitos comportamentais, onde não precisamos ser doutores para ter em nosso seio a visão modificadora focada nestas crianças as quais nos põem no rumo certo e melhor, são elas ainda uma forma de escudo ao aparo e desvia mento de condutas sem a menor serventia.Dias novos virão e o modela mento de uma nova roupagem será a nossa vestimenta certeira pois não dependeremos mais do engoma mento com a língua dos maus.
Cunha e Barros, segue saindo da caverna ,agora aprimorando seu Capital Cultural.Obrigado!

 Comentários:
Enviado por odival machado em 16/04/2012 às 16:42:08
Magnifica matéria Prof. CUNHA. Apesar da pouca idade á época, lembro-me do movimento estudantil por diretas já,contra a ditadura militar, onde quem mandava PRENDER e SOLTAR em BATALHA, era o pai do atual INQUILINO da PREFEITURA MUNICIPAL. Certa ocasião,Em meio a uma roda de amigos o prof. Marcial fez o seguinte comentário: Uma pena ver o cunha nesta situação,é um cara muito inteligênte, era o melhor aluno de nossa classe. Periodo em que iam para o colegio em Esperantina em um PAU DE ARARA. Dizem que pra se chegar ao PARAISO, TEM QUE PASSAR PELO INFERNO, E POUCOS TÊM SAPIÊNCIA PRA SAIR DESTE INFERNO E VOCÊ TEVE. Infelizmente somos obrigados a votar neste PAÍS, por que se fosse facultativo, A raça politica teria uma tremenda decepção. Que bom que resolveu sair da caverna, SAUDE E PAZ. E aos senhores cidadãos e eleitores Batalhenses ” CONHECEREIS A VERDADE E ELA VOS LIBERTARÁ “

Domingo Abel do Formigueiro completa 105 anos de vida

A Página de Batalha homenageia todo ano a figura simples de Domingos Soares da Silva, mais conhecido por Domingo Abel do Formigueiro.
O amigo e colaborador Lucimar Rocha nos enviou a foto com o aniversariante ao lado de Antônio Sindora que lhe visitou no dia do aniversário.
Muitos podem contestar a longevidade desse batalhense lá do Formigueiro, mas o certo é que em Batalha temos vários exemplos de pessoas centenárias.
Desejamos que continue sua passagem pela vida com saúde e muita alegria.
Parabéns e felicidades!
George Machado Tabatinga, com a colaboração de Lucimar Rocha

 Comentários:
Enviado por Antonio Francisco em 16/04/2012 às 23:31:42
Conheço este senhor desde minha infancia querida!!!!Deus abençoe sua vida!!

Bico de Ouro morreu na madrugada de sábado para domingo

Zé Afonso era figura querida em Batalha. Com sua banquinha de verduras, ervar medicinais, abóbora e outras ítens comuns a toda banca de mercado ia levando a vida. Ajudando a sustentar a mãe com quem vivia desde que a bebida lhe causou a perda da esposa e do convívio com os filhos.
Bico de Ouro era pessoa simples, de sorriso fácil. Na foto que ilustra a matéria exibe seus dois troféus de um e dois anos sem beber um trago. As pequenas medalhas lhe ajudaram muito na manutenção de longos períodos de abstinência.
São esses e tantos outros exemplos que nos fazem refletir o quanto nós seres humanos somos frágeis. E quando se tem pouca instrução e nenhum apoio, como por exemplo de uma assistência social pública, é quase impossível dominar um vício, uma dependência química sozinho.
Aos familiares do amigo Bico de Ouro os nossos sinceros pêsames e orações.
George Machado Tabatinga, responsável pela Página

 Comentários:
Enviado por Antonio Francisco em 16/04/2012 às 23:30:22
Estive na sentinela deste ser tao divertido e pude perceber a tristeza imensurável de sua amada mae!!!Fico muito triste quando vidas sao ceifadas pelo alcoolismo e outras drogas maléficas!!!!Desejo que aqueles que sao cativos do alcool se libertem e vivam melhor e mais!!!!
Tema Por Premium Wordpress