ÚLTIMAS NOTÍCIAS

CRÔNICAS ANTERIORES

Milho Assado – Uma delícia na Semana Santa

Já dizia o poeta: “recordar é viver novamente”!
Esta imagem de milho assado merece um registro para lembrar os tempos de criança chegando em Batalha, correndo pro pé do fogão a lenha. Se não tivesse brasa em quantidade a gente puxava umas lascas de sabiá do fogo e batia contra o piso pra desprender algumas. Mas isso sem que a empregada visse! Depois era só correr pro quintal da casa e escolher as espigas.
De volta pras “trempes” do fogão, tirava umas lascas de madeira seca em forma de espeto e enfiava na espiga. Se tivesse pressa __ o que sempre acontecia__, terminava comendo as primeiras “sapecadas”. Menino é tudo igual, independentemente da época e dos hábitos do momento.
Vez por outra desarrumava a barriga com cólicas que nos levavam à “sentina” do fundo do quintal. Mas isso já é uma outra história!
Lembrei do samba Dá Nela Saudade,  de Carlos Imperial e Adilson Silva, de 1968, cantado por Roberto Audi, que fala em saudade…”dá nela, saudade dá nela. Ela precisa aprender…
Eita saudade danada!
P.S. – A foto ilustrativa é de Francisco Ferreira Santos  (facebook)

Pedra do Letreiro – Sinais humanos através da Arte Rupestre dos nossos ancestrais

A nossa Pedra do Letreiro encontra-se abandonada. Invadida de forma irregular, o em torno vem recebendo edificações na área que deveria ser preservada. Pelo menos com a construção de uma praça que beneficiaria os moradores do bairro de mesmo nome. Uma sugestão da moradora do local, a jovem Edilênia, cuja entrevista faz parte do vídeo que compõe esta matéria e vocês poderão acessar aqui ou via Youtube.
Outras manifestações do gênero espalhadas por outros locais como na localidade Bela Vista, antes da Ladeira do Ferrugem, e na localidade Santa Luzia, próxima da PI – 110 que liga Batalha a Barras, ambas com características do segundo maior acervo piauiense, o Parque Nacional das Sete Cidades no vizinho município de Piracuruca.
Não obstante o Parque Nacional da Serra da Capivara, Patrimônio Mundial da UNESCO, com o maior acervo e um dos mais estudados por pesquisadores de todo o mundo, esteja localizado no Estado do Piauí,  o principal sítio arqueológico com manifestações de arte rupestre do continente americano e um dos mais estudados,  na prática nosso estado e as autoridades locais e estaduais pouco caso fazem. Haja vista os constantes exemplos de falta de preservação de locais afins__ incluimos aqui também as diversas quedas d´água da região, culminando com a Cachoeira do Urubu__, transformadas em verdadeiros lixões de degetos alimentares deixados pelos que alí visitam e fazem picnics sem ligar para a preservação do local.
Pois bem, voltando para o invadido patrimônio arqueológico Pedra do Letreiro, registramos esta crônica, inclusive com vídeo, para que a partir dos moradores se comecem um movimento de preservação daquele local bem como dos demais aqui citados.
“Um povo sem arte e sem cultura é um povo que não existe”. Portanto, a cultura é um fator crucial para o ser humano. Pois é através dela que encontramos as várias expressões artísticas, presentes na homologação dos indivíduos e grupos sociais. Diz Leandro Flores.

PEDRA DO LETREIRO DE BATALHA

Cartão Postal de Batalha – Gado pastando livremente pelas praças

    Já se passaram décadas do tempo em que boiadas dos grandes rebanhos batalhenses atravessavam do Mimoso para a Puba e vice e versa.
Como era bonito aquele espetáculo de pura magia! Um tempo em que a criançada contava as cabeças de gado de cima das janelas e peitoris como medo do boi da cara preta que dava trabalho aos grandes vaqueiros daquela saudosa época. Êeeeeeeeeee, boi!
No inverno o gado saía da região do Mimoso (terras férteis cor vermelha, próximas aos rios e riachos da região oeste), para as terras da Puba. Região arenosa de onde ainda são produzidos o melhor mel de cana e rapadura da região. Boa também para plantas de raízes tubérculeas como mandioca, macaxeira, batata doce e a hoje rara, araruta.
À medida que esse espetáculo foi desaparecendo do cenário intimista batalhense, vieram os vigias das praças que além da atividade fim, rechaçavam rezes, porcos e criações que porventura adentrassem no ambiente das praças floridas, limpas e arborizadas de nossa Batalha. Lembro com saudade da disputa sadia entre as senhoras Delzuite Melo, Ressu Lopes, Diná, Josefa do Otávio, Inês Fortes, Sinhá, mãe do Luizinho e Rosinha do Domingos Cesário no zelo daqueles belos jardins.
Mas hoje o que vemos é o total abandono de nossas praças e a depredação a cada passagem de mais uma festa em praça pública.
Na foto acima, de hoje pela manhã, vemos o gado pastando livremente na principal quadra da praça da Matriz. Um verdadeiro cartão postal do abandono.
Me orgulho tanto dessa praça e gostaria que todos vocês sentissem o mesmo. E juntos façamos algo de concreto contra essa situação.
George Machado Tabatinga, responsável pela Página de Batalha há dez anos na internete

COMENTÁRIOS DA VERSÃO ANTERIOR DA PÁGINA

Enviado por Netto Alves em 02/02/2015 às 07:51:29
Já que a prefeita nao paga a limpeza nas ruas. Então esta ai o gado aparando a grama na praça. Fazer o quê?
Enviado por Cristovon Barroso em 30/01/2015 às 04:54:51
  É muito triste vê um cenário desse. Eram muito bonitas mesma e a situação da praça da sapucaieira é aindo pior e ninguém faz nada. Um abraço
Enviado por Nonato Silva em 29/01/2015 às 18:33:42
É uma realidade triste e calamitosa, mais uma vez lembra da brutalidade com que fui tratado a quase dois anos quando fotografei umas vacas que pastavam na praça da Matriz, nada mudou da lá para cá. Deus seja nossa única esperança de que um dia possamos ter administradores respeitosos por nossa Terra.

Bloco de Carnaval dos anos 70 – Maravilha!

Acabamos de copiar esta foto maravilhosa do facebook da batalhense Solange Helena. Uma bela recordação carnavalesca dos tempos que se brincava carnaval fazendo blocos e disputando as melhores fantasias.
Tudo isso acabou em Batalha. Uma pena! Mas posso dizer, assim como muitos batalhenses de minha época, que brincamos muitos e nos divertimos de forma que só temos boas recordações.
Deixo com vocês a tarefa de comentar e identificar cada uma de nossas belas ninfetas.
George Machado Tabatinga, com foto de Solange Helena

Restauração das imagens de São Gonçalo e São Francisco

Por volta das 17:30h de ontem, 09 de janeiro, chegaram na cidade serrana de Guaramiranga, Ceará, as imagens do padroeiro São Gonçalo e São Francisco para um minucioso trabalho de restauração a cargo do frei Milton, um artista na arte de recompor imagens danificadas.
Coube ao padre Oscar a responsabilidade de trazer as imagens. Para tanto, contou com ajuda do casal Juliana e Max que juntos vieram de Batalha trazendo uma das peças mais valiosas de nossa patrimônio cultural e religioso.
Chegamos antes à cidade e aproveitamos para conhecer o frei Milton que nos recebeu gentilmente na casa paroquial. Levamos CDs das Valsas e do Jubileu para que conhecesse um pouco de nossa história recente.
Contamos alguns fatos ocorridos com a imagem. Principalmente a fuga para Pedro II e a última reforma feita por artista de Teresina nos idos de 80, quando por iniciativa popular o então prefeito Machado Melo tomou a frente e sob permissão do bispo Dom Rufino levou a imagem para ser restaurada na capital Mafrense. Era pároco da cidade padre Pinto. Depois contamos pra vocês.
Abaixo, imagens da chegada da comitiva à bela Guaramiranga, no Maciço de Baturité, para que vocês também testemunhem. Vejam o estado em que se encontra a imagem de São Gonçalo: faltando dedos, rachaduras e ranhuras diversas. A imagem de São Francisco não tem grandes danos. Será uma nova pintura, praticamente não há reparos a fazer.
George Machado Tabatinga, responsável pela Página

Carta para Miltinho

Como estão as coisas por essas bandas, Miltinho? Em Batalha continuamos a luta pelos nossos valores imaterias e culturais. Imagine como está difícil sem você por aqui ajudando na decoração de São Gonçalo, animando as mesas das barraquinhas e divulgando nossa terra pelo Brasil. Hoje é mais um daqueles dias que a gente sente demais sua falta. Você já puxou muita gente boa: os músicos Mestre Quinca e Cristino. Do Apostolado da Oração Páscoa, Anaídes,Sinhá Melo e D. Maria do Sena.

O secular Pedro Gomes e a professora Matilde, que ajudou a lhe criar, também já te seguiram. Elza Machado, João Fortes e D. Ressú do Dico também estão por aí. São batalhenses como você que faziam parte de nossas vidas e ainda fazem. Nossa banda de música cada dia que passa mais esquecida e os músicos desmotivados. Tudo indica que este ano não contarão com a pequena verba pública que ajudava a manter a tradição. Acredito que a paróquia e o povo vão encontrar uma forma de contratar.

Ah! Como você fez falta dia 14 nas comemorações dos 200 anos da matriz de São Gonçalo! Coube a mim a responsabilidade de transmitir um pedaço de nossa história recente para uma multidão de fiéis, não só de nosso município como também de outras cidades da região. Não foi tarefa fácil. Mas teria sido difícil demais caso não tivesse em mãos seu livro editado em 1997, trazendo pela primeira vez um documento de pesquisa sobre a terra da ametista e do jatobá. Meu exemplar, com dedicatória sua, guardo com muito zelo e carinho. Miltinho, não tem sido fácil segurar essa bandeira! Mas coisas boas aconteceram nos últimos tempos: Batalha teve um padre empreendedor talvez só comparado ao padre Joaquim Guimarães. Foram quase seis anos de intensa evangelização e melhorias. A peregrinação de São Gonçalo em Teresina, a cada ano mais intensa e participativa, graças ao empenho da comissão organizadora, com destaque para o casal Socorrinha e Sérgio Tabatinga; Soraia Tabatinga Barbosa e Maria do Christóvam. Do lado cultural, notadamente as artes, um destaque para o projeto da professora Socorro Silva, que com a ajuda de Lucélio Costa, Léo e tantos outros criaram o ponto de cultura Nossas Raízes. Lá tem coral de vozes infantis, grupo de flautas doce, ensino de violão, clarinete e saxofone. Não tem como não lembrar você miudinho, soprando um sax alto! Peça a São Gonçalo por aí pra continuar protegendo nosso povo e que através de N. S. de Lourdes chegue até o Pai nossos pedidos de clemência e piedade. Se puder dar um empurrãozinho pra trocar os políticos e a política aí o povo vai fazer uma festona. Depois te conto mais!

Saudações Batalhenses,

George Machado Tabatinga

P.S. – Na data de hoje, 17 de dezembro, já se vão três anos de sua morte.

JUBILEU 200 ANOS – MONTAGEM DO PALCO

Acaba de chegar em Batalha o palco para o grande momento amanhã de encerramento do ano jubilar da igreja matriz de São Gonçalo.
Nosso colaborador Mauro Robert registrou pra vocês esses momentos.

Mestre Fabiano (Manoel da Costa Lima) – Mais um ano do seu aniversário

No dia do seu aniversário, 07 de maio, lembramos do saudoso  mestre dos mestres de nossa cultura musical. Instrumentista virtuoso, compositor de mão cheia, autodidata, religioso praticante e gente do povo.
Viveu mais de um século e só deixou de soprar seu saxofone alto quando as forças musculares lhe faltaram. Mas isso já foi bem próximo de sua morte natural.
Cuidado de perto pela filha Maúde, morreu numa casa simples, coberta de palha, na esquina famosa que hoje leva seu nome numa das ruas do cruzamento. Uma homenagem mais que merecida.
Este ano lembramos o episódio contado por ele mesmo e registrado em fita cassete, quando foi motivo de homenagem reconhecida em programa de rádio da capital Teresina. Guardo com muito carinho uma cópia que me foi cedida por seu neto e filho da Maúde, Lima Neto.
Pois bem, estava Fabiano sentado na cadeira da barbearia situada na rua atrás do quartel da polícia fazendo a barba quando o barbeiro percebeu lágrimas suaves descendo olho abaixo, discretamente.
__  O que foi que aconteceu, Fabiano ? Por acaso lhe cortei o rosto com a navalha?
__  Nada disso, Moço. É  que você não sabe o que é ouvir uma música sua assim sendo tocada pela banda da Polícia Militar do Piauí !
Naquele instante a famosa banda sob a batuta de seu genro capitão Simplício, estava executando o dobrado Torres de Melo, de sua autoria, em continência ao general Torres de Melo, ex-comandante da corporação durante o regime militar, que estava em visita à caserna estimada. Para quem não conhece a música,  basta ouvir os discos Alvorada Batalhense lançados no dia do seu aniversário, 07 de maio de 2000, o primeiro volume e, em 27 de novembro, o segundo volume, onde está devidamente gravada pela primeira vez a bela composição voltada para as tradicionais bandas de fanfarra..
Parabéns, Mestre Fabiano! Eternamente em nossos corações!
George Machado Tabatinga

Comentários:
Enviado por Soraia Tabatinga Barbosa em 09/05/2014 às 12:32:55
Realmente George, estará eternamente em nossos corações! Acho que poucas cidades, têm a honra de ter a fama e a vocação musical como nossa Batalha. Assisti uma vez a familia Lima dando um show numa Semana Santa. Temos Mestre Quíncas e sua familia, e você, com suas iniciativas pioneira de resgate desta linda estória!! Um abraço à todos da familia do Mestre Fabiano.

Matilde de Castro Machado – Missa de Sétimo Dia

A sociedade batalhense de luto rezou pela alma da professora Matilde de Castro Machado na missa de sétimo dia, celebrada pelo padre Evandro, na data de 14 de abril, na matriz de São Gonçalo.
Presentes familiares, amigos, professores, e alunos da U.E. Gayoso e Almendra, que nesse momento de dor vieram agradecer por seus relevantes serviços prestado à educação em nossa cidade, em especial na escola Gayoso & Almendra.
Nascida a 21 de outubro de 1927, a filha de Adélia Machado (D. Deloca) e Olegário Machado. Matilde era a caçula dos irmãos Eurípedes, Olegário, Osires, Eli, Teresinha e Conceição, a única viva de uma família tradicional de nossa terra.
Partiu a professora Matilde no dia 08 de abril, deixando saudades.
Aos familiares da querida professora nossos sinceros sentimentos de pesar.
George Machado Tabatinga, com a colaboração e foto de Leo Costa, do ponto de cultura Nossas Raízes.

Messias da Rodoviária – O nosso homenageado de hoje

João Messias, popularmente conhecido como Messias da Rodoviária, filho do casal joão da Silva Carvalho e D. Leonice Bizerra de Medeiros Carvalho e irmão de Maria do Socorro, José Augusto, Josélia, Joelma, Joel e Lauranice veio para a sede da cidade de Batalha deixando a localidade Lagoa da Serra aos 7 anos de idade.
Messias conta que já são mais de 15 anos trabalhando no ramo de passagens rodoviárias. Começou na antiga lanchonete do Seu Luisinho da D. Sinhara vendendo passagens das antigas empresas Zuca Lopes, hoje FRETUR, e Marimbá, adquirida pela Expresso Guanabara.
Messias da Rodoviária trabalha como agente de passagens das empresas FRETUR, Expresso Guanabara e Viação Itapemirim, dentre outras. Vendendo passagens para Teresina, Parnaíba, Fortaleza, São Luis, João Pessoa, Brasília, Goiânia, São Paulo e Rio de Janeiro.
O batalhense Messias leva a sério o que faz: “tenho orgulho de agenciar todas essas empresas, pois gosto do que faço“, afirma com convicção.
O nosso homenageado de hoje vende passagens via internete com desenvoltura. No guichê da rodoviária está conectado com o mundo e de lá pronto para atender qualquer batalhense.
Como sugestão, que tal comprar suas passagens diretamente de Batalha? Assim você estará ajudando um batalhense a manter seu emprego além de um atendimento mais que dedicado pois se trata de “um de nossos conterrâneos“.
Usando o aplicativo Skype (que também substituiu o MSN da Microsoft), você se comunica diretamente com o amigo Messias e acerta tudo. Depois, no balcão da empresa na rodoviária de onde começa a sua viagem você retira o bilhete sem pagar nada a mais a não ser a taxa de embarque que varia dependendo da cidade.  Mas se quiser falar diretamente com ele, basta ligar para o seu celular da operadora TIM (86 9992-7353).
Faça como eu: prestigie um trabalhador de sua terra e sinta-se mais feliz!
Ao amigo Messias a nossa homenagem pela dedicação, amor e carinho como exerce sua profissão dignamente.
George Machado Tabatinga, responsável pela Página

Enviado por Geraldo Fortes em 11/11/2013 às 19:00:06
Messias estarei em Batalha dia 16/11/2013, favor me procurar, e estarei lhe ajudando a ligar nossa Batalha e sua vendas para mato grosso, mato grosso do sul, Rondonia, Acre, parana, São paulo, rio de janeiro, minas gerais e mais localidades, pois já esta feito uma paceria, entre a guanabara e uma agencia de turismo de Goiânia, para todas as agêcias paceiras nossas estarem vendendo para estas localidas. favor me procurar. Geraldo Fortes
Enviado por carvalhomariia jose da rocha melo em 20/09/2013 às 13:04:09
Realmente o Messias mereceu esta homenagem pelo trabalho realizado com muito zelo, dedicação e disponibilidade. Ele procura atender a todos com muita simpatia. Endosso as palavras do George no sentido da colaboração, do apoio e da aquisição da passagem dos batalhenses, visando assegurar o seu trabalho junto às empresas de transportes. Um grande abraço Messias!!!
Tema Por Premium Wordpress