ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Author Archives: pgadmin

Macaxeira da Dedé Cabeleireira – A maior do mundo com 2m40cm

A filha de D. Oneide do Café Amargo, esposa do Chico Lopes e mãe de Thalita e Kayllane tem a maior macaxeira do mundo. Procuramos na internet e não encontramos nenhum relato de macaxeira maior de 2,40m.
Na manhã de segunda-feira, 09 de abril, seu esposo juntamente com o vizinho Zé do Ribamar derramaram muito suor por mais de duas horas para arrancar o tubérculo do chão do seu cercado lá na Pedra do Letreiro.
O sonho de D. Dedé é entrar para o livro dos recordes, o Guiness Book, e poder ajudar no tratamento de sua querida mãe.
A macaxeira pesou 25 kg e todo mundo que passa pergunta como foi, etc, etc.
Mas agora à tarde a meninada brincando com o troféu acabou partindo ao meio. Dona Dedé ficou triste porque não pode mais continuar com a tentativa de registrar o feito. Resta o consolo de publicar um vídeo que fez na internet. Passou o mesmo para o Roberto Bráz da Lan House divulgar. A Página de Batalha vai baixar e selecionar os melhores trechos e também divulgar para vocês, a pedido da mesma. É que tem imagens deitadas e alguns trechos ruins, segundo ela.
Vejam as fotos abaixo, inclusive com o momento da medição.
George Machado Tabatinga, com a colaboração de Roberto Bráz que nos enviou as fotos e o link para baixar os vídeos.

Em tempo: o vídeo montado pode ser visto  AQUI

 Comentários:
Enviado por Tennyson Kesler em 05/11/2012 às 12:55:28
ESSA DAÍ GOOOOOOOOSTA !!! KKKKKKKKKKKK….
Enviado por kellen Cristina em 18/05/2012 às 23:09:54
Nossa Tia você agora vai ficar famosa.
Enviado por odival machado em 16/04/2012 às 09:00:43
Isso é que é pau de dá em doido !!!

Padre Wolfgang Hermann- 5 anos de sua morte

A Página de Batalha relembra com saudade do inesquecível Padre Wolf e de sua passagem como pároco de nossa cidade.
Um jovem alemão de porte alto  que esteve à frente da Paróquia de São Gonçalo por seis anos.
Chegou aqui exatamente no dia do Levante da Bandeira do Festejo de N. S. de Lourdes, em agosto de 1995, quando a procissão descia a ladeira do morro da Saudade sob o passo rápido de Seu Sena, de saudosa memória, empunhando a bandeira principal.
Hoje faz parte de nossa história recente e será sempre lembrado em nosso portal.
George Machado Tabatinga, responsável pela Página

Joaquim Cícero da Costa completa 87 anos – Feliz Aniversário Mestre Quinca

A Página de Batalha deseja muita saúde e felicidade ao nosso querido Mestre Quincas, devoto de São Gonçalo e Nossa Senhora de Lourdes. Nosso expoente cultural mais expressivo ainda vivo dentre todos.
Ele que na gestão Antônio Lages foi homenageado com a Lei de Incentivo à Cultura que leva seu nome. Mas lamentavelmente de lá para cá nenhum projeto cultural envolvendo seu nome foi realizado. Ele que continua compondo lindas melodias, com certeza dentre as mais belas do nosso cancioneiro, como Maria de Nazaré, valsa em homenagem a sua querida esposa que o deixou viúvo mas não menos amoroso. Um verdadeiro poema de amor eterno à mulher amada.
Ao meu amigo dileto sem o qual nós batalhenses jamais teríamos o registro das mais belas páginas do nosso cancioneiro para sempre, o meu muito obrigado por tudo.
Aproveito para lhe dizer, mestre, que enquanto vivo for não desistirei de lhe presentear com um disco com todas as suas músicas, ou pelo menos as 20 mais representativas. Em ano eleitoral, quem sabe algum candidato resolva colocar em seu programa um incentivo maior à cultura batalhense, com a promoção de diversas gravações da obra que ainda permanece inédita de nossos compositores mais importantes, em especial você, meu caro amigo.
Como bem disse seu neto Lucélio Costa: “Parabéns mestre Quincas que Deus continue te iluminando, te dando muita saúde paz e que esta data se repetida muitas e muitas vezes em sua vida”.
Feliz Aniversário, Mestre Quinca!
George Machado Tabatinga, com a colaboração do seu neto Lucélio Costa que nos enviou a foto e um texto em sua homenagem.

Comentários anteriores:

Enviado por ANGELA TABATINGA em 12/04/2012 às 13:05:44
Mestre Quincas, uma vez já falei dele, justamente no seu aniversário do ano passado. Ele é tudo de bom. É uma criaturinha, que quando estava tocando na Mangueira, e eu estava por lá, me deixava subir ao palco e tomar o microfone do cantor, pra falar, ou cantar qualquer música que quissese. Tempos bons!!! P A R A B É N S MESTRE QUINCAS.
Enviado por DIÓGENES MELO em 04/04/2012 às 17:43:29
PARABENIZO, ESTE CIDADÃO, QUE FAZ RELEMBRAR A MINHA INFÂNCIA, SÃO OS MEUS SINCEROS VOTOS DE MUITOS ANOS DE VIDA, DIÓGENES MELO E FAMILIA.
Enviado por Enildo de Sousa Vieira em 04/04/2012 às 16:12:06
Maestro Quinca, teha certeza que você faz parte da História viva da música batalhense. Certamente você pertence ao rol dos grandes músico de Batalha. Use o seu, tradicional, chapéu foi ele que fez você ter uma personalidade marcante. Outras personalides também usavam chapéu: Santo Dumont, Fernando Pessoa, Napoleão Bonaparte, Winston Churchill, John Lenon, Chaves, Seu Madruga, Idiana Jones etc. Saudações pelo Aniversário. Enildo – Brasília-DF.
Enviado por Pe. Leonardo de sales em 03/04/2012 às 17:52:24
Rendo graças ao Deus altíssimo pela vida e pelo dom musical concedido por Ele, ao Mtre. Quincas. A sua humildade aliada à tão forte presença na vida social de Batalha merece louvor. Deus o abençoe ainda mais, concedendo-lhe muita saúde, paz e inspirações para fazer crescer o seu cancioneiro. Seu talento é um referencial necessário à cultura de nossa terra, a execução do hino de São Gonçalo e de Nossa Senhora de Lourdes, cuja musica saiu do seu engelho musical,ganham brilhantíssimo com a harmonia da fé de seu Quincas. Parabéns, felicidades, que o Senhor Deus o conserva por muitos anos. Pe. Leonardo de Sales, Promissão – SP.
Enviado por dedila em 01/04/2012 às 14:09:14
Hom Dedila e Odisseia sampaioenagem justa, muitos anos de vida ao lado de seus familiares. Um abraço

Luiz de Moura Correia – Homenagem no Dia do Aniversário

Bel. Luiz de Moura Correia instalou-se em nossa Comarca no dia 13 de maio de 2004, completando exatos 08(oito) anos à frente do Poder Judiciário Batalhense. Sem dúvida alguma firmando um marco divisório que só será definitivamente percebido após a sua inevitável promoção, que ainda não ocorreu pelo grande amor que este professa por nosso município; por vezes tendo mais orgulho de ser batalhense do que até mesmo muitos dos que aqui nasceram e cresceram.
Quando aqui chegou encontrou uma justiça desacreditada, com os muros da cidade pichados com notas de reprovação; o fórum funcionando em uma casa de residência onde não havia condições mínimas necessárias ao atendimento digno dos jurisdicionados; o cartório eleitoral funcionando em um cubículo e a Digníssima Representante do MP atendendo debaixo de uma mangueira. De cara constatou ainda a grande quantidade de processos na Comarca além do grande número de pessoas sem documentos básicos ao exercício da cidadania. Arregaçou as mangas e começou o que hoje pode ser considerado uma dos maiores trabalhos em números gerais da justiça batalhense, piauiense ou quem sabe até brasileira.
Inicialmente elidiu esforços para a construção do Fórum de Justiça local, a elevação da Comarca dada a grande quantidade de processos, a construção de Fórum próprio, da Justiça Eleitoral, a criação de um Juizado Especial Cível e Criminal e ainda a concessão de cidadania ao mais carentes com a instituição de justiça itinerante em todo o território deste município. Ações inicialmente consideradas por muitos como utopias, mas que graças ao seu empenho e de toda sua equipe tornou-se realidade.
Temos certeza que é motivo de realização profissional ter levado cidadania aos mais carentes com a justiça itinerante deste município, após serem firmadas parcerias que deram certo entre município, paróquia, sindicatos, justiça e, enfim, todas as entidades organizadas do município. Esta ação foi aos quatro cantos de Batalha prestando serviços da justiça como expedição de registros de nascimento, casamento e óbito; realização de casamentos, ajuizamentos e julgamentos de processos de todas as áreas e diversos outros serviços à comunidade em todos os âmbitos; neste lapso temporal a construção do Fórum local foi iniciada, como também após trabalho árduo a construção do JECC de Batalha que futuramente seria desta nacional; conseguiu ainda a construção de prédio próprio da Justiça Eleitoral e ainda que Batalha se tornasse pólo regional desta Justiça; concomitantemente foi aprovada a elevação de entrância da Comarca de Batalha.
Em 2006 foram inaugurados os prédios do Fórum central e Juizado Especial Cível e Criminal, logo em seguida também o Fórum Eleitoral que como já mencionado, tornara-se pólo regional desta Justiça e o trabalho apenas estava começando.
A partir daí a Justiça batalhense deixava o anonimato não só pela construção de seus prédios, mas também porque Luiz de Moura Correia não preocupou-se apenas em construir prédios, mas em construir pessoas, forjando uma equipe e indo ao trabalho.
Recebeu moção oferecida pelo Excelso Tribunal de Justiça do Estado do Piauí, pelo recorde nacional de conciliação aqui realizado, quando foram feitas 318 audiências com 318 acordos fechados. “Temos a impressão que batemos um recorde nacional”, disse o Desembargador Edvaldo Moura, coordenador estadual do movimento pela conciliação à época, em sessão. Esse número de acordos fechou uma renda de R$ 270.865,69 no ano de 2009, fato que em 2010 repetiu-se, mas desta vez ultrapassando a casa de 01(um) milhão de reais. Foi condecorado com o titulo de pai/amigo da inclusão, concedido pelo Centro Integrado de Educação Especial – CJES, juntamente com o governador Wellington Dias e o Deputado Wilson Brandão, respectivamente, representantes dos poderes judiciário, executivo e legislativo.
A condecoração a que se fere o parágrafo anterior foi concedida a Dr. Luiz de Moura Correia por decisão inédita no Estado ao condenar uma empresa de ônibus que se negara a transportar uma pessoa portadora de deficiência, forçando a lei do passe livre, criada pelo Deputado Wilson Brandão e sancionada pelo governador Wellington Dias; fato este que culminou em sua inscrição e classificação no ano de 2011, ao maior prêmio nacional do poder judiciário “Prêmio Innovari”.
As eleições municipais foram nesses anos realizadas com serenidade, responsabilidade e imparcialidade; os trabalhos sequer foram questionados pelas instituições partidárias, não havendo qualquer recurso; consolidando assim a democracia na terra da ametista.
Luiz de Moura Correia aonde vai sempre exalta o reforço e a gratificação do trabalho em equipe realizado na Comarca e que gerou um número impressionante de processos julgados nestes anos, que é de impressionar. Com destaque o ano de 2011 onde foram julgados 2.201(dois mil e duzentos e um) processos das mais diversas naturezas, sendo tamanha a expressividade dos números que fora noticia em primeira página em jornal de circulação estadual, como também em vários portais da rede mundial de computadores.
O Juizado Especial Cível e Criminal desta Comarca, desde o inicio pensado e idealizado por este Magistrado e acima de tudo cidadão batalhense, hoje exerce grande papel social, levando uma justiça mais célere e desburocratizada aos mais pobres e necessitados, tratando os iguais igualmente e os desiguais desigualmente; fazendo trabalhos sociais no auxilio às associações e na criação de núcleos digitais para a utilização de toda a população.
Foi indiretamente responsável pela criação do posto do INSS nesta Comarca o qual terá importante papel social na comunidade batalhense dada a enorme quantidade de processos previdenciários julgados no decorrer dos anos, dando ao trabalhador rural seu direito a aposentadoria.
Em reconhecimento recente foi escolhido como coordenador estadual da comissão que vai elaborar os enunciados dos Juizados Especiais Estaduais, que servirão para orientar os trabalhos que serão realizados nos Juizados de todo o Piauí
Por tudo aqui narrado e até mesmo por aquilo que fora esquecido não por sua importância, mas decurso do tempo e pela vida atribulada das pessoas, sem dúvida alguma a Justiça batalhense e a cidade de Batalha terá por Luiz de Moura Correia eterna gratidão pela pessoa e pelos serviços prestados.
Sejam do Longá ou Marathaoãn, o certo é que nosso homenageado e aniversariante já é um divisor das águas dos rios e riachos que “serpenteiam murmurando” por nossas terras.
Dos amigos George Wellington da Silva Borges e George Machado Tabatinga
P.S. – As fotos abaixo foram copiadas do portal oficial do TJ do Piauí, relativas a momentos dentre tantos em que Dr. Luiz  foi homenageado no ambiente do TJ do Piauí, Governo Estadual e em Batalha.

Cleiton Amaral lança o livro Estação Longá na Câmara Municipal

O batalhense Cleiton Amaral Rodrigues, historiador, professor universitário e cerimonialista lançou seu livro Estação Longá, selo independente, no auditório da Câmara Municipal de Batalha, prédio vereador Bianor Rebouças de Melo, sob os olhares atentos de uma plateia cheia de conterrâneos, autoridades locais e representantes do mundo acadêmico piauiense.
Os momentos que antecederam o lançamento dessa obra que trata do resgate histórico de assuntos como a catequese, a família, prestígio e poder na formação político-social batalhense, foram marcados pelo som ambiente das músicas de nossos compositores cujo registro definitivo nos discos Alvorada Batalhense há dez anos no mesmo local, foi o marco cultural da década em nossa terra.
Após a composição da mesa, o Hino Nacional deu o tom cívico para que a solenidade pudesse atingir seus objetivos.
O mediador agradeceu a presença de todos e identificou os seguintes convidados: prefeito Amaro Melo, vice Adão de Araújo Sousa, vereadores Elvis Machado, Patrícia e Fátima Machado; Jacqueline Melo, secretária de saúde, o ex-prefeito Antonio Lages Alves e esposa; Herculano Moraes, presidente da Academia de Ciências do Piauí, Lisete Napoleão, presidenta da Academia de Letras do Vale do Longá e os membros Carlos Magno de Almeida, Antônio Pedro de Almeida, Dílson Lages Monteiro e Francy Monte. Professora Maria do Carmo Amaral Brito, diretora da Christus Faculdade do Piauí e o historiador de Piracuruca com familiares, Francisco Augusto. Também foram citados os professores Eduardo Sindô, do Alto Longá, e o nosso professor Bidoca Dutra, o primeiro secretário de educação da gestão Amaro Melo.
A imprensa local foi citada nessa ordem: Everardo Torres, da Folha de Batalha; Lucimar Rocha, comunicador da Voz da Pororoca; George Tabatinga, da Página de Batalha e Célio Jr., do blog Batalha Show.
Coube a Carlos Magno de Almeida a apresentação da obra, ressaltando a importância desse trabalho de pesquisa para a história de Batalha.
O autor, professor Cleiton Amaral em seu pronunciamento fez um breve resumo dos principais tópicos de seu trabalho como historiador e pesquisador de nossa história recente.
O vereador Elvis Machado em discurso sugeriu a inclusão do conteúdo da obra na grade curricular de ensino fundamental batalhense.
O prefeito Amaro Melo destacou o feito do batalhense da Santa Rita e compactuou com a sugestão do edil presidente do legislativo sobre a obrigatoriedade do ensino do seu conteúdo na rede municipal de nosso município.
Em seguida, os presentes assistiram  vídeo sobre a história de Batalha, com produção e direção do historiador Cleiton Amaral e que teve o patrocínio da Christus Falculdade e prefeitura de Batalha. A trilha sonora do documentário com músicas de nossos eternos compositores.
Ao final, foi oferecido um coquetel aos presentes enquanto o escritor Cleiton autografava exemplares de sua obra.
George Machado Tabatinga, responsável pela Página de Batalha na Internet

Comentários:
Enviado por Vereador Nenem Celedone em 04/01/2011 às 12:11:27
lamento minha ausência por compromissos já agendados, entretanto gostaria de ressaltar a importância do evento e dizer o quanto sou admirador deste jovem talento Batalhense.
Enviado por professor Ferreira em 30/12/2010 às 22:53:41
Gostaria de inicialmente parabenizar o escritor e professor Cleitom Amaral. E dizer da satisfação e alegria em ver mais um batalhense dispontando no cenária cultural com um respaldo invejável, visto que, outros gigantes da literatura o aplaudem, tais como: Carlos Magno, Antonio Pedro, na pessoa dos quais me reporto a tantos outros. Seria injusto se não mencionasse Manoel Fabiano IN MERIAN, bem como Joaquim Costa, que ainda hoje enche de orgulho a todos quando de suas participações nos eventos festivos de nossa cidade. Portanto, PARABÉN CLEITON AMARAL E MUITO SUCESSO

A morte do querido farmacêutico Dico Lopes

Faleceu ontem em Teresina, por volta das 18:00 horas, o nosso Velho e querido Farmacêutico  Raimundo Nonato Lopes, popularmente chamado de Dico Lopes. O corpo foi velado ontem à noite em Teresina mas logo seguiu para Batalha. O enterro está previsto para logo mais , às 16:00 horas de hoje. Aos familiares os nossos pêsames em nome da sociedade batalhense.(Leoni Melo, colaborador da página)

Comentários:
Enviado por laura em 23/10/2009 às 10:54:18
Hoje foi que eu vim saber da morte do meu tio Dico e hoje também descobrir este site. Minha tia Ressú lamento muito e lamento mais ainda por não saber do acontecido, é lamentável e triste eu que encontrei pessoas e elas nunca me falaram não dá para acreditar que todos esses anos agora foi que eu vim saber. bjs minha tia Ressú amo a senhora o tempo nos separa mas do meu coração jamais
Enviado por HENRIQUE CÉSAR LOPES em 29/08/2008 às 12:54:22
“Aqueles que amamos nunca morrem, apenas partem antes de nós.” Apesar de nao ter conhecido meu tao querido tio, fiquei muito comovido, fica na lembrança eterna meu tio DICO Lopes.
Enviado por Maria Ceci R. de Melo Facó em 26/08/2008 às 03:07:25
É com imenso pesar que li nesta página o falecimento do “Sr. Dico”. À D. Ressú, Vanda, Elenita, Rdo Nonato, Irismar, Solange e Gracinha nossas condolências pela partida do nosso eterno “farmacêutico”. Ceci Facó e de toda a família da D. Sinhá.
Enviado por ISAIAS OLIVEIRA DE NEGREIROS em 25/08/2008 às 13:52:02
Realmente a perca de seu DICO LOPES,vai deixar um imenso vazio,pois quem em batalha não precisou dos serviços dele buscando medicamntos que tão bem sabia receitar.um abraço a família inlutada……………
Enviado por Helder Sampaio em 25/08/2008 às 11:16:03
Meu caro George, é muito difícil andar em Batalha e não ver mais este querido filho ilustre, um cidadão de predicado moral jamais visto em nosso município, honesto, trabalhador, era o nosso médico. Lembro que quando sentia alguma coisa(problema de saúde) a minha mãe Odisséia dizia logo vou falar com o DICO e logo ficava bom. Abraçamos nossos queridos familiáres na pessoa de meu AMIGO DR. NONATO LOPES. Helder , Chagas e Odisséia.
Enviado por Maurício Batalha em 24/08/2008 às 22:54:49
Recorro a este espaço para manifestar minhas condolências a todos os familiares do senhor Dico. Saí de minha cidade muito novo. Mas, enquanto lá morei, fui testemunha dos esforços desse senhor em aliviar o sofrimento alheio. Agora, há 16 anos longe de minha terra querida, desejo apenas que minhas condolências cheguem ao conhecimento da toda a família do seu Dico. Abraços de um batalhense até no nome Maurício Batalha
Enviado por Selma Vieira Fortes de Melo em 24/08/2008 às 10:21:36
Batalha em sua totalidade sentirá a falta desse notável farmacêutico Sr. Dico Lopes que prestou seus conhecimentos em medicina curando e aliviado dores em milhares de pessoas. Pra mim, ele e o Sr. José Altair, foram uns enviados por Deus para prestarem um relevante serviço à sociedade Batalhense. Restando-nos agora agradecer á DEUS e pedir-lhe o conforto para seus familiares e que todos vejam que sua trajetória aqui, marcou pela sua missão bem cumprida. A todos os familiares do Sr. Dico os meus sentimentos e também o da família Fortes.
Enviado por raimundo jose rodrigues da silva (zezao) em 23/08/2008 às 20:45:35
foi uma pessoa incomparavel, sorridente alegre e muito gente boa.
Enviado por Luiz de Moura Correia em 23/08/2008 às 18:32:09
Em nome do judiciário batalhense manifesto a família de Raimundo Nonato Lopes o nosso profundo pesar, Bacharel Luiz de Moura Correia.
Enviado por antonio jose de melo em 23/08/2008 às 17:22:14
Sinto que batalha ta ficando cada dia menor, o ciclo da vida ta sempre tirando pedaços importante desta cidade. melo
Enviado por Leonardo de Sales em 22/08/2008 às 19:09:14
Com pesar li a mensagem nesta página sobre o falecimento do “seu Dico”, assim aprendi desde menino a chamá-lo. Quantas e quantas vezes fui à sua farmácia em busca de algum remédio, ele conhecia de cor o nome de todos os farmacos, mas sempre tive medo de suas injeções (rrs),ele sempre acalmava-nos com algumas balas. Que Deus que o chamou o receba em sua casa e tenha misericórida de sua alma e faça valer a sua dedicação, pois ele fez de seu balcão um altar, onde muitas vidas foram salvas, graças à sua mediação e sabedoria e de sua profissão um sacerdócio a serviço da comunidade batalhense, são estas cosias que contam para Deus, e não outras como muitos insistem em pautar a vida, em aparências e subterfurgios que beirão a mediocridade. A última imagem que guardo viva nal embrança foi de sua figura franzina à porta de sau casa junto à sua família, quando a Procissão de São Gonçalo, passar na sua porta. Que o mesmo olhar de esperança que eu o vie lançar cheio de fé para aquela demonstração de amor a Deus, na expressão religiosa de nosso povo, esteja a receber sua vida feita de oferta, no serviço aos mais fracos e pobre, que o amado Jesus o faça experimentar as delícias eternas, e à sua família a certeza de nossa orações e preces. “seu Dico” até a eternidade e de lá continue receitando-nos remédios para os nossos males, dentre eles o pior de todos o da falta de amor e gratidão. Santo de Deus correi ao seu encontro , anjos do Senhor ide ao seu auxílio. Leonardo Sales, Lins -SP
Enviado por Genésio da Silva Araújo em 22/08/2008 às 11:46:58
Batalha perdeu um grande farmacéutico, uma pessoa do bem eu mesmo estou distante pois estou em são paulo, mas já fui atendido pelo sr.Dico varias vezes quando Morava ai em nosso Municipio de Batalha mas hoje pelo endereço eletronico fiquei sabendo dessa grande perda pra a familia e pra todos os batalhenses. minhas condulhenças a todos os familiares Genésio – bom dia.
Enviado por Lucimar Rocha em 22/08/2008 às 10:00:27
Batalha, realmente perde um filho ilustre, amigo, um benfeitor. Um homem simples, humilde, mas de grandes predicados morais. Pai exemplar, amigo de todos. Grande conhecedor dos segredos farmaceuticos. Quantas e quantas pessoas foram por suas mãos curadas e amenizada a sua dor. Quantos e quantos pais de familia, às altas horas da noite bateram à sua porta pedindo um atendimento, no desespero de ter em casa um filho, um ente querido doente. Batalha ainda desprovida dos recursos de que hoje dispôe, era o mestre Dico que medicava as pessoas (para não esquecer também o nome de José Altair) Nossos sentimentos à família enlutada. Lucimar Rocha
Enviado por clayson em 21/08/2008 às 21:32:15
Lamento profundamente a perda repentina de nosso querido amigo Dico Lopes como assim o chamava. Partiu mais deixou um grande legado a nossa cidade, relevantes serviços prestados a comunidade batalhense, seja como Vereador, como farmaceutico, ou simplesmente como bom amigo. Vai me fazer muita falta. Minhas condolencias a família . Clayson Amaral

O Milagre de São Gonçalo (publicada pela primeira vez em 01.01.2007

A comunidade batalhense, ao contrário dos tempos áureos da primeira metade do século XX, presenciou a partir dos anos 60, primeiro, a retira do Santíssimo em plena luz do dia levado para Pedro II pelo até então pároco local, Frei Bruno, de triste memória. Depois veio a demolição dos altares da Igreja Matriz e toda a beleza artística de seus interiores desapareceu para sempre num total desrespeito à cultura sacra do nosso povo de hábitos fervorosos.

Outro episódio lamentável, ocorrido algumas vezes nesse período, foi a falta de um padre efetivo para a comunidade católica batalhense; inclusive durante festejos de nossos padroeiros. Mas o acontecimento que motivou uma verdadeira comoção popular foi o que iremos relatar a seguir, baseado nos depoimentos de pessoas que participaram do movimento e que estão registradas ao final da matéria:

No dia 12 de agosto de 1988, uma sexta-feira, dia do leilão do Apostolado da Oração nos festejos em honra de Nossa Senhora de Lourdes, co-padroeira de Batalha, Iolete Sampaio,  Sinhazinha e outras fervorosas católicas, ao entrarem na igreja para mais um dia de novena, notaram a falta da imagem de São Gonçalo. De imediato a notícia espalhou-se pela cidade. O grupo de jovens da época que faziam roda na praça da matriz: Zé Edson, Careca, Lulu, Vevé, Conradinho, Fernando da Loló e outros. Eles tomaram a iniciativa de ir até a casa paroquial para se certificarem do fato. Naquela ocasião o casal Bernardo e Maria, alemães e pertencentes à comunidade Kolping que desde os tempos do padre Lotário vem ajudando a paróquia local, confirmaram a retirada do santo para ser reformado. Segundo o casal, alguns católicos mais próximos da igreja sabiam do fato e concordavam com a iniciativa.

Naquele dia a novena e o leilão foram cancelados. O pároco de Esperantina, padre Ladislau João da Silva, estava respondendo pelas missas e novenas em mais um daqueles períodos em que os fiéis batalhenses ficaram sem um padre efetivo.

Mas graças ao comportamento impulsivo próprio da idade juvenil daqueles adolescentes, o acontecimento foi tendo proporções cada vez maiores. Pois bem, o grupo procurou a D. Seleste do Zé Gomes, secretária de educação e membro do apostolado da oração, que autorizou a utilização do mimeográfo da secretaria para rodar um estêncil de manifesto à população ainda naquela noite, redigido por Conradinho Machado.

Na manhã seguinte, a população em peso já havia tomado conhecimento do ocorrido. Vários professores liberaram seus alunos para a manifestação popular em frente à casa paroquial. Pessoas choravam aflitas e assim uma comissão feita às pressas dirigiu-se à autoridade policial para registrar o ocorrido. Destacamos a atuação de D. Rita do Pachola que foi logo questionando: “Doutor, se o senhor não autorizar o povo vai sem sua ordem buscar o santo em Pedro II”. Naquele momento já se encontravam na delegacia: Bernardo, Maria, João Alemão e o padre Ladislau, além de uma multidão de fiéis. Pressionado pelo povo, o delegado determinou que a imagem do padroeiro fosse devolvida. Afinal, não existia um documento da Diocese de Parnaíba autorizando a saída da imagem de Batalha. Por volta das dez horas da manhã, na toyota da paróquia, seguiram para Pedro II, cidade para onde a imagem fora levada, o casal Bernardo e Maria, D. Vicênça do Dedim, membro do apostolado da oração, e Zé Edson Tabatinga. Acompanhando a comitiva à distância um carro da prefeitura com umas quinze pessoas e o motorista Lulu.

O padre de Pedro II nada pode fazer e a imagem do santo estava de volta às três e meia da tarde daquele dia.

O Milton motorista foi ao encontro da comitiva na estrada de Piracuruca para avisar que uma multidão esperava a imagem de São Gonçalo na ponte do Riacho Grande. Ele dirigia a belina do Sr. Manoel “Binício”, graças à intervenção de sua esposa D. Francisca das Chagas, uma fervorosa devota do santo.

Quando a comitiva se aproximou da ponte Milton tomou a frente da toyota com a belina, obrigando uma parada imediata antes da multidão. Ele ainda teve a iniciativa de retirar a imagem do carro da paróquia e levar até a multidão de fiéis.

Ainda estava longe do inverno, mas um preparo de chuva com nuvens cinzentas se formou de repente. O povo abismado parecia não acreditar. Zé Edson já estava de posse da imagem e iniciava a procissão rumo à igreja Matriz. Uma fina chuva começava a cair. Um banho de lágrimas parecia que vinha dos céus. O cortejo seguia e a chuva aumentava.

A praça da Matriz de São Gonçalo estava tomada de fiéis e a chuva cada vez mais forte molhava a todos com a fé divina. A imagem secular de traços finos seguia protegida pelas mãos jovens de José Edson. No patamar da igreja o prefeito Machado Melo, no seu último ano de mandato, a recebia com a missão de colocá-la no pedestal de onde havia sido retirada.

De repente a chuva parou. Mais parecia providência divina: os céus com nuvens claras de final de tarde e começo de noite. O povo ainda lotava as quadras da praça e a igreja. Uma multidão digna das melhores festas do nosso padroeiro.

Não se tem notícias de alguém doente por ter “pegado” aquela chuvarada toda, contam os mais devotos.

Por alguns dias a igreja ficou fechada até que alguém quebrasse o cadeado da porta central. Aos poucos o cotidiano do pacato povo de Batalha foi sendo restabelecido.

Diante do ocorrido, o prefeito de Batalha, Sr. Antônio Machado Melo, tomou a iniciativa de providenciar a recuperação da estátua em Teresina. A comunidade católica lhe tinha respeito e conhecia a tradição de muitos serviços prestados por ele e seus familiares à causa religiosa.

Dentre as diversas autoridades locais apenas o prefeito Machado Melo e o vereador Luiz Segundo, deram apoio irrestrito à causa, segundo José Edson. Os demais preferiram não “se meter no assunto religioso”.

Merecem ainda destaque o choro copioso de Zé Lobinho, filho do zeloso da igreja e de saudosa memória, João Lobo, irmão de mestre Fabiano. E a ameaça do craque Catita de deixar a cidade caso o santo não voltasse. Chegou mesmo a colocar as malas debaixo da figueira da igreja, pronto para partir. Relato do amigo Lulu que participou ativamente de toda essa jornada religiosa.

Muitos outros acontecimentos mereceriam registro. Cabe agora a vocês, leitores e conterrâneos, procurarem esses fatos e darem seus testemunhos.

Quaisquer divergências de dados aqui estaremos prontos a corrigir e assim transformar esta crônica o mais próximo possível da realidade.

Que o Glorioso São Gonçalo abençoe a família batalhense neste novo ano que ora se inicia.

Pessoas entrevistadas:

Rita do Pachola, Fernando da Loló, José Edson, Iolete Sampaio Melo, D. Vicênça do Dedim e Lulu motorista. Tivemos ainda a crônica do professor Careca que nos foi enviada pelo seu sobrinho Hugo Leonardo e a ajuda, sempre oportuna, do colaborador da página Francisco José Sampaio Melo. (George Machado Tabatinga, responsável pela página).

A SEÇÃO PAPEL PAREDE PARA COLOCAR NO FUNDO DE TELA DO SEU MICRO

Internautas,

Ainda na fase de implementação das diversas seções da página, aproveitamos para sugerir que vejam e escolham as fotos sugeridas como papel parede do fundo de tela de seus micros.

Quem desejar colaborar com a página basta enviar as fotos para o endereço da administração da página:  adm@paginadebatalha.com.br

George Machado Tabatinga, responsável pela página

A NOVA PÁGINA DE BATALHA

Apresentamos aos internautas a nova página de Batalha. Um novo visual e um novo conteúdo. Pedimos apenas um pouco mais de tempo para podermos alimentar com informações e fotos.
Tivemos um pequeno problema com os dados anteriores, mas esperamos regularizar até o próximo final de semana. Enquanto isso você já pode utilizar a seção Fale Conosco para registrar qual foi a sua primeira impressão quanto ao novo modelo.
Saudações Batalhenses,
George Machado Tabatinga

Tema Por Premium Wordpress